Busca avançada
Ano de início
Entree

Aumento da diversidade de espécies como estratégia de recuperação de pastagens degradadas

Processo: 17/24369-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2023
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Pastagens e Forragicultura
Pesquisador responsável:Marilia Barbosa Chiavegato
Beneficiário:Marilia Barbosa Chiavegato
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Biodiversidade  Gases do efeito estufa  Ciclagem de nutrientes 

Resumo

No estado de SP, existem 70 mil hectares de pastagens com nível de degradação forte ou moderado. O cultivo de pastagens multiespecíficas se apresenta como possível alternativa na recuperação da qualidade do solo para reestabelecimento da produção e mitigação dos impactos ambientais em pastagens degradadas. A hipótese geral deste trabalho é que o aumento da biodiversidade em ambientes pastoris melhora os atributos químicos do solo, reduz as perdas de elementos na forma de gases de efeito estufa (GEE) e aumenta a produção de matéria seca (MS), a estabilidade produtiva da produção de forragem e a capacidade de suporte das pastagens. O objetivo é aumentar a biodiversidade em áreas de pastagens degradadas por meio do cultivo de pastagens multiespecíficas e, assim, recuperar a qualidade do solo e reestabelecer a produção de forragem. O estudo será desenvolvido em propriedade familiar privada, em Elias Fausto, SP. As pastagens são compostas de capim-marandu (Brachiaria brizantha cv. Marandu) e encontram-se em estádio moderado de degradação. Serão introduzidos na área de capim-marandu, o capim-andropogon (Andropogon gayanus cv. Planaltina) e amendoim forrageiro (Arachis pintoi cv. Belmonte). No primeiro ano do projeto, será definido um protocolo de implantação das pastagens (pré-experimento). Os resultados dos pré-experimentos serão utilizados para definir o protocolo de implantação a ser utilizado nas parcelas experimentais (experimento). As variáveis de pasto avaliadas no experimento serão: interceptação luminosa do dossel, alturas pré e pós-corte, composição botânica, participação das espécies na produção de forragem, uniformidade de espécies, presença de invasoras, acúmulo de forragem, produção de MS e VN da forragem produzida e variação intra-anual do acúmulo de forragem. As variáveis de solo a serem avaliadas serão: textura do solo, teor de matéria orgânica do solo, teores de micro e macronutrientes, teores de C e N, massa e profundidade de raízes e densidade do solo. As variáveis ambientais serão: emissões de CO2, N2O e CH4 provenientes do solo. Os resultados esperados desta proposta são redução da área total de pastagens degradadas ou improdutivas no estado de SP, aumento da produtividade da bovinocultura paulista, valorização da terra, incremento da qualidade de vida dos pequenos produtores, manutenção do pecuarista no campo e mitigação dos impactos ambientais causados pela degradação de pastagens. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.