Busca avançada
Ano de início
Entree

Viva rápido, morra jovem na Amazônia: testando predições sobre história de vida nos menores vertebrados amazônicos através de colaboração internacional entre TAMU e UFSCar

Processo: 18/22592-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2019 - 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Convênio/Acordo: Texas A&M University
Pesquisador responsável:George Mendes Taliaferro Mattox
Beneficiário:George Mendes Taliaferro Mattox
Pesq. responsável no exterior: Kevin W. Conway
Instituição no exterior: Texas A&M University, Estados Unidos
Instituição-sede: Centro de Ciências Humanas e Biológicas (CCHB). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sorocaba , SP, Brasil
Pesq. associados: Joshuah Perkin
Vinculado ao auxílio:17/01970-4 - Integrando dados morfológicos e moleculares no estudo taxonômico e filogenético do peixe miniatura Priocharax Weitzman & Vari (Teleostei, Characiformes, Characidae), AP.JP
Assunto(s):Ictiologia  Miniaturização  Histologia  Morfologia  Peixes  Ciclo de vida 

Resumo

A Bacia Amazônica abriga a maior diversidade de peixes de água doce do planeta. O conhecimento sobre esta fauna aquática mega diversa ainda é rudimentar, e informações sobre história de vida e ecologia só estão disponíveis para uma parte das espécies, geralmente enviesadas para peixes de grande porte de interesse comercial ou na conservação. Na maioria dos casos, o ciclo reprodutivo destas espécies de maior porte é sazonal e ligado ao ciclo anual das cheias amazônicas. Informações sobre a história de vida dos peixes de água doce que ocupam o extremo inferior do espectro de tamanhos corpóreos (e.g., espécies miniaturas) é escasso e, face à ausência de dados apontando o contrário, assume-se frequentemente que seu ciclo de vida também seja sazonal. Com base em teoria da história de vida, seria esperado que estas espécies miniaturas maximizassem o sucesso reprodutivo desovando mais cedo na vida (via progênese) e frequentemente (i.e., desova contínua), resultando em um ciclo de vida desacoplado do ciclo anual de cheias. Estabelecemos uma equipe de pesquisadores interdisciplinares unindo docentes de TAMU (PP Conway e PA Perkin) e UFSCar/FAPESP (PP Mattox) com especialidade em ecologia, anatomia e taxonomia de peixes de água doce para testar hipóteses sobre história de vida de táxons miniaturas focado em uma assembleia diversificada de peixes miniatura recém descoberta na drenagem do Baixo Amazonas, no Rio Jacundá, Pará. A expedição ocorrerá na estação chuvosa e complementará os dados já disponíveis para a estação seca, obtidos recentemente no contexto de um projeto JP-FAPESP (Proc. 2017/01970-4). Utilizaremos uma combinação de análises anatômicas e histológicas para maturação das gônadas, e análise de otólitos para acessar crescimento em amostras de peixes miniaturas de ambas as estações. Vamos consolidar os laços entre TAMU e UFSCar/FAPESP em seminários recíprocos e oficinas lideradas pelos pesquisadores, incluindo duas na UFSCar (uma focada na preparação e análise de otólitos e outra sobre o software de estatística R), e uma em TAMU (centrada na coleção de peixes Neotropicais das Biodiversity Research and Teaching Collections de TAMU). PP Mattox também será treinado em técnicas histológicas em TAMU. (AU)