Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa de implementação: dispositivos de integração da rede de saúde mental no município de Itatiba-SP

Processo: 18/10366-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Vigência: 01 de abril de 2019 - 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Rosana Teresa Onocko Campos
Beneficiário:Rosana Teresa Onocko Campos
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados: Erotildes Maria Leal
Assunto(s):Saúde mental  Atenção primária à saúde 

Resumo

A baixa integração das redes de saúde e a falta de profissionais preparados para providenciar cuidados adequados em saúde mental na Atenção Primária constituem importantes entraves na superação da diferença de mortalidade entre pessoas convivendo com transtornos mentais. Como alternativa para superação desses entraves, na literatura internacional, citam-se a implementação de dispositivos de integração de rede e a formação continuada dos profissionais. Neste sentido, este projeto trata de uma proposta conjunta do Laboratório Saúde Coletiva e Saúde Mental - Interfaces (Unicamp) e da Prefeitura Municipal de Itatiba-SP para realizar uma pesquisa de implementação de dispositivos de integração de rede a fim de qualificar o cuidado em saúde mental no município. Essa pesquisa possibilitará entender como as intervenções previstas funcionam nas configurações do "mundo real", testando abordagens para melhorá-las. Ressalta-se que as pesquisas de implementação são apontadas na literatura internacional como viabilizadoras de políticas e programas de saúde pública mais efetivos. A pesquisa será realizada em três etapas: pré-implementação, implementação e avaliação. Entre as atividades previstas, está a capacitação de gestores e trabalhadores para o trabalho articulado em rede, bem como a formação de tutores que comporão um comitê a fim de favorecer a sustentabilidade da proposta. Os resultados relativos à implementação serão avaliados por meio de uma pesquisa do tipo survey, aplicada em dois momentos e através da comparação de dados secundários acerca do funcionamento da rede na fase pré e pós-implementação. Entre as principais hipóteses a serem testadas, estão a diminuição e/ou qualificação dos encaminhamentos para os serviços especializados; diminuição no tempo de espera para utilização dos serviços; aumento do número de atendimentos em saúde mental na Atenção Primária e aumento do número de altas do serviço especializado com referência para Atenção Primária. Realizar-se-á também avaliação econômica em relação às repercussões da mudança no perfil de financiamento de saúde mental da cidade, aspecto fundamental para estudar a efetividade das políticas públicas. (AU)