Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinantes e dinâmica de resistência a antimicrobianos e Salmonella na produção brasileira de suínos e aves

Processo: 18/21216-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Convênio/Acordo: BBSRC, UKRI ; Newton Fund, com FAPESP como instituição parceira no Brasil
Pesquisador responsável:Andrea Micke Moreno
Beneficiário:Andrea Micke Moreno
Pesq. responsável no exterior: Alison E Mather
Instituição no exterior: Quadram Institute Bioscience, Inglaterra
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Luisa Zanolli Moreno ; Terezinha Knöbl
Assunto(s):Doenças transmissíveis  Suínos  Aves  Genomas  Salmonella enterica  Epidemiologia molecular 

Resumo

A resistência antimicrobiana em patógenos bacterianos dos animais de produção representa uma grande ameaça à saúde dos animais e humanos e apresentam impacto econômico significativo para a agroindústria. Salmonella enterica é um dos patógenos bacterianos mais importantes em suínos e aves, os quais são dois dos principais reservatórios para infecções humanas. A mudança nesses sistemas de produção nos últimos 15 anos ocasionou mudanças dramáticas na prevalência dos sorotipos de Salmonella observada em suínos e aves no Brasil. Essas mudanças podem estar sendo impulsionadas pelo uso de antimicrobianos e seleção de estirpes resistentes, mas esta questão ainda não foi totalmente investigada. O presente projeto baseia-se nos resultados obtidos na concessão inicial de 12 meses deste programa entre a FAPESP e a BBSRC investigando a diversidade dos genes de resistência a antimicrobianos em estirpes de Salmonella isoladas de suínos e aves nos últimos 10 anos no Brasil. Na próxima etapa, aumentaremos significativamente o número de genomas disponíveis de Salmonella dos sistemas de produção brasileiros; dessa forma, será possível identificar como eles se encaixam no contexto global e identificar quando subtipos específicos surgiram no pais. Também serão avaliados os determinantes genéticos que facilitam a persistência de Salmonella na cadeia produtiva. Investigando as mudanças no padrão de resistência e nos sorotipos ao longo da vida dos animais de produção será possível melhorar as estratégias de controle e por fim, também será avaliada a resistência em bactérias não patogênicas co-residentes na microbiota intestinal dos rebanhos estudados. A correlação destes dados com o uso de antimicrobianos possibilitará que se verifique o possível papel dessas bactérias como reservatório de genes de resistência para bactérias patogênicas, como Salmonella, já que estes podem se mover entre bactérias através da transferência horizontal de genes. Esses objetivos serão alcançados utilizando sequenciamento completo do genoma (WGS) e sequenciamento de leituras longas de última geração, combinados com os conhecimentos de biologia molecular e epidemiologia do grupo. (AU)