Busca avançada
Ano de início
Entree

Otimização da miliamperagem da TCFC na avaliação de regiões a diferentes distâncias de implantes dentários e de defeitos ósseos periimplantares

Processo: 18/22952-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Radiologia Odontológica
Pesquisador responsável:Christiano de Oliveira Santos
Beneficiário:Christiano de Oliveira Santos
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Camila Tirapelli
Assunto(s):Diagnóstico por imagem  Defeitos ósseos  Implantes dentários  Tomografia computadorizada de feixe cônico  Qualidade radiográfica 

Resumo

Os implantes dentários, assim como outros materiais de alta densidade, geram artefatos que degradam a qualidade da imagem em exames de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Portanto, em reabilitações com implantes, a TCFC pós-operatória é recomendada apenas em situações clínicas de falhas ou complicações. A presença de artefatos pode também interferir no diagnóstico quando exames de TCFC são realizados por outras indicações clínicas e há implantes dentários presentes em áreas adjacentes àquelas que serão avaliadas. Em exames tomográficos, a utilização de miliamperagens (mA) mais altas, em geral, melhora a qualidade da imagem. No entanto, existe uma relação direta entre a mA e a dose de radiação empregada. A avaliação do efeito das variações na mA para tarefas de diagnóstico específicos é, portanto, relevante para o uso otimizado da TCFC. O objetivo deste estudo é avaliar o efeito da miliamperagem (mA), em exames de TCFC, na magnitude e extensão dos artefatos gerados pelos implantes dentários e na acurácia de diagnóstico de defeitos ósseos (deiscências e fenestrações) periimplantares. Para avaliação do efeito da mA na magnitude e extensão dos artefatos, mandíbulas serão escaneadas antes e após a instalação de implantes de titânio, com diferentes parâmetros de mA (4 a 13mA). Uma análise objetiva analisará o efeito na média e desvio padrão dos tons de cinza em 12 regiões de interesse na imagem, a diferentes distâncias e posições em relação ao implante. Para avaliação do efeito da mA no diagnóstico de defeitos periimplantares, segmentos de costela bovina com implantes com e sem defeitos (fenestrações e deiscências) serão escaneados com diferentes miliamperagens (4 a 13mA). Cinco avaliadores utilizarão uma escala de 5 pontos para avaliar os segmentos em relação à presença dos defeitos. Serão calculadas sensibilidade, especificidade e área sob a curva ROC (receiver operating characteristics) para os diferentes parâmetros de mA. (AU)