Busca avançada
Ano de início
Entree

Otimização da miliamperagem da TCFC na avaliação de regiões a diferentes distâncias de implantes dentários e de defeitos ósseos periimplantares

Processo: 18/22952-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Radiologia Odontológica
Pesquisador responsável:Christiano de Oliveira Santos
Beneficiário:Christiano de Oliveira Santos
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Camila Tirapelli
Assunto(s):Diagnóstico por imagem  Defeitos ósseos  Implantes dentários  Tomografia computadorizada de feixe cônico  Qualidade da imagem radiológica 

Resumo

Os implantes dentários, assim como outros materiais de alta densidade, geram artefatos que degradam a qualidade da imagem em exames de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Portanto, em reabilitações com implantes, a TCFC pós-operatória é recomendada apenas em situações clínicas de falhas ou complicações. A presença de artefatos pode também interferir no diagnóstico quando exames de TCFC são realizados por outras indicações clínicas e há implantes dentários presentes em áreas adjacentes àquelas que serão avaliadas. Em exames tomográficos, a utilização de miliamperagens (mA) mais altas, em geral, melhora a qualidade da imagem. No entanto, existe uma relação direta entre a mA e a dose de radiação empregada. A avaliação do efeito das variações na mA para tarefas de diagnóstico específicos é, portanto, relevante para o uso otimizado da TCFC. O objetivo deste estudo é avaliar o efeito da miliamperagem (mA), em exames de TCFC, na magnitude e extensão dos artefatos gerados pelos implantes dentários e na acurácia de diagnóstico de defeitos ósseos (deiscências e fenestrações) periimplantares. Para avaliação do efeito da mA na magnitude e extensão dos artefatos, mandíbulas serão escaneadas antes e após a instalação de implantes de titânio, com diferentes parâmetros de mA (4 a 13mA). Uma análise objetiva analisará o efeito na média e desvio padrão dos tons de cinza em 12 regiões de interesse na imagem, a diferentes distâncias e posições em relação ao implante. Para avaliação do efeito da mA no diagnóstico de defeitos periimplantares, segmentos de costela bovina com implantes com e sem defeitos (fenestrações e deiscências) serão escaneados com diferentes miliamperagens (4 a 13mA). Cinco avaliadores utilizarão uma escala de 5 pontos para avaliar os segmentos em relação à presença dos defeitos. Serão calculadas sensibilidade, especificidade e área sob a curva ROC (receiver operating characteristics) para os diferentes parâmetros de mA. (AU)