Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da arquitetura molecular de copolímeros multiblocos de poli(ε-caprolactona-b-etileno glicol) na compatibilização e propriedades interfaciais de blendas biodegradáveis de poli(ácido láctico) e poli(e-caprolactona)

Processo: 18/23542-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Marcelo Aparecido Chinelatto
Beneficiário:Marcelo Aparecido Chinelatto
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Polímeros  Blendas  Tensão interfacial  Copolímeros  Copolímeros multiblocos  Propriedades mecânicas  Propriedades térmicas 

Resumo

Blendas PLA/PCL têm atraído o interesse científico e tecnológico de diversas áreas, pois são formadas por dois poliésteres biodegradáveis e biocompatíveis, cujos comportamentos mecânicos podem ser considerados como complementares. Entretanto, essas blendas são imiscíveis e a baixa adesão interfacial entre suas fases é responsável pelas pobres propriedades mecânicas observadas. Copolímeros multiblocos derivados de µ-caprolactona e etileno glicol têm alto potencial de compatibilização dessas blendas, pois cada um de seus blocos tem afinidade preferencial por uma das fases presente. Porém, para este tipo de copolímero, a afinidade preferencial dos blocos não garante a redução da tensão interfacial entre as fases. O entendimento completo do efeito compatibilizante desses copolímeros é complexo e altamente dependente de sua arquitetura molecular. Portanto, o objetivo desse projeto será investigar o efeito da arquitetura molecular de copolímeros multiblocos de poli(ε-caprolactona-b-etileno glicol) na compatibilização e propriedades interfaciais de blendas PLA/PCL. Copolímeros multiblocos derivados de E-caprolactona e etileno glicol serão sintetizados via reação de condensação. A preparação e caracterização das blendas de PLA, PCL e copolímeros multiblocos permitirá correlacionar a influência da arquitetura molecular desses copolímeros com a tensão interfacial entre as fases e as propriedades mecânicas e térmicas das blendas. Assim, espera-se ao final desse projeto desenvolver novos materiais totalmente biodegradáveis e de alto desempenho mecânico para serem aplicados como materiais ecologicamente mais amigáveis ou como biomaterial. (AU)