Busca avançada
Ano de início
Entree

A infecção cardíaca pelo Trypanosoma cruzi: análise do papel do cardiomiócito na detecção do parasita e/ou do dano tecidual

Processo: 18/25984-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:José Maria Álvarez Mosig
Beneficiário:José Maria Álvarez Mosig
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Maria Regina D'Império Lima
Assunto(s):Doença de Chagas  Trypanosoma cruzi  Cardiomiopatia chagásica  Miócitos cardíacos  Fator 88 de diferenciação mieloide  Receptores purinérgicos P2X7  Resposta imune 

Resumo

Na doença de Chagas, uma moléstia humana devida à infecção pelo protozoário Trypanosoma cruzi, um terço dos pacientes desenvolve miocardiopatia crônica. Esta condição patológica está associada à persistência do parasito no tecido cardíaco, o que é considerado reflexo de uma resposta imune local insuficiente ou inadequada. Entretanto, recentemente, utilizando um modelo murino de infecção pelo T. cruzi, observamos que além dos leucócitos infiltrantes, os cardiomiócitos desempenham um papel ativo in vivo na resposta imune local (Santana et al., 2018). Estes resultados levantam a possibilidade da participação desta população estrutural na cardiomiopatia presente nos pacientes com a forma cardíaca da doença. No presente projeto, com o objetivo a longo prazo de desvendar os elementos celulares e moleculares envolvidos na cardiomiopatia chagásica, estudaremos, no coração de camundongos infectados pelo T. cruzi, o papel in vivo dos cardiomiócitos na detecção do parasito e/ou do dano localmente gerado no tecido cardíaco e consequente sinalização do sistema imune.Os estudos pretendidos, que dão continuidade a um projeto do meu laboratório, podem ser agrupados em dois subprojetos: I) Estudo do papel do adaptador MyD88 expresso pelos cardiomiócitos no reconhecimento in vivo do T. cruzi ou das mudanças induzidas por este. II) Estudo do papel do receptor purinérgico P2X7 expresso pelos cardiomiócitos no reconhecimento in vivo do ATP liberado no meio extracelular do tecido cardíaco como resultado direto ou indireto da infecção pelo T. cruzi. Estes estudos serão abordados utilizando modelos CRE-LOX induzidos, nos quais o adaptador MyD88 ou o receptor P2X7 serão seletivamente eliminados nos cardiomiócitos após tratamento com tamoxifeno. (AU)