Busca avançada
Ano de início
Entree

Astronomia de ondas gravitacionais com detetores espaciais

Processo: 19/07131-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 01 de junho de 2019 - 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia
Pesquisador responsável:Oswaldo Duarte Miranda
Beneficiário:Oswaldo Duarte Miranda
Pesquisador visitante: Massimo Tinto
Inst. do pesquisador visitante: University of California, San Diego (UC San Diego), Estados Unidos
Instituição-sede: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Ondas gravitacionais 

Resumo

Propomos investigar uma série de questões relavantes de pesquisa voltadas para a detecção e análise de sinais de ondas gravitacionais, passíveis de detecção por interferômetros baseados no espaço. Espera-se que o projeto de Antena Interferométrica Espacial a Laser (LISA) e a Antena para Observações de Ondas Gravitacionais Interferométricas "Mid-Band" (AMIGO) revelem uma riqueza de informações sobre o Universo através da detecção de radiação gravitacional em bandas de freqüência complementares às dos detectores terrestres de ondas gravitacionais (como LIGO e VIRGO). O trabalho aqui proposto é particularmente oportuno pois (i) as atividades do grupo de trabalho do LISA foram retomadas após a confirmação do projeto pela ESA como uma missão L3, e (ii) a arquitetura de projeto do sistema e avaliação das capacidades científicas da missão AMIGO precisam ser concluídas até o final do ano 2020. O Dr. Tinto é membro dos grupos de trabalho de Simulação e Análise de Dados da LISA e líder das atividades do conceito de missão da AMIGO. Isso o coloca numa posição única para expor à comunidade em astrofísica do INPE os problemas de pesquisa enfrentados por essas duas fascinantes missões de ondas gravitacionais. Além disso, a presença do Dr. Tinto facilitará o envolvimento de cientistas interessados do INPE nas atividades de pesquisa que ele realizará em São José dos Campos. O ano que irá passar no INPE permitirá retomar sua colaboração com os membros do corpo docente, engajar vários alunos de pós-graduação e dar um curso de pós-graduação na escola de pós-graduação em Astrofísica do INPE em 2019. Acrescento que o Dr. Tinto é fluente em inglês e português, o que facilitará a interação com estudantes brasileiros com pouco domínio da língua inglesa. (AU)