Busca avançada
Ano de início
Entree

Genoma mitocondrial linear em Anthozoa (Cnidaria): um estudo de caso em Ceriantharia

Processo: 19/08547-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de maio de 2019 - 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia
Pesquisador responsável:Sérgio Nascimento Stampar
Beneficiário:Sérgio Nascimento Stampar
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/50028-0 - Effects of diet and diel lighting on expression of venom diversity in two species of tube dwelling anemone, AP.R
Assunto(s):Evolução 

Resumo

Sequências e atributos estruturais dos genomas mitocondriais têm desempenhado um papel crítico na clarificação das relações entre Cnidaria, um filo chave de animais que divergem precocemente. Entre as principais linhagens de Cnidaria, a Ceriantharia ("anêmonas de tubo") continua sendo uma das mais enigmáticas em termos de sua posição filogenética. Sequenciamos os genomas mitocondriais de dois ceriantários para ver se o genoma organelar completo forneceria mais apoio para a colocação filogenética de Ceriantharia. Tanto para Isarachnanthus nocturnus quanto para Pachycerianthus magnus, as sequências dos genes mitocondriais não puderam ser agrupadas em um único genoma circular. Em vez disso, nossas análises sugerem que ambas as espécies têm genomas mitocondriais consistindo em múltiplos fragmentos lineares. Mitogenomas lineares são característicos de membros de Medusozoa, uma das principais linhagens de Cnidaria, mas não são registrados para Anthozoa, que inclui a Ceriantharia. O número inferido de fragmentos e variações na ordem genética entre as espécies é muito maior dentro da Ceriantharia do que entre as linhagens de Medusozoa. Nós identificamos origens de replicação para cada um dos cinco cromossomos putativos do mitógeno Isarachnanthus nocturnus e para cada um dos oito cromossomos putativos do mitogenoma de Pachycerianthus magnus. Com 80.923 pb, I. nocturnus agora detém o recorde do maior genoma mitocondrial de animais registrado até o momento. A novidade da estrutura mitogenômica em Ceriantharia destaca a distinção desta linhagem, mas, por parecer ser única e diversificada dentro de Ceriantharia, não é informativa sobre a posição filogenética de Ceriantharia em relação a outros Anthozoa. A presença de tRNAMet e tRNATrp em ambos os mitogenomas de Ceriantharia suporta uma relação mais próxima entre Ceriantharia e Hexacorallia do que entre Ceriantharia e qualquer outra linhagem de Cnidaria, mas a análise filogenética dos genes contidos nos mitogenomas sugere que Ceriantharia é irmã de um clado contendo Octocorallia + Hexacorallia indicando uma possível supressão de tRNATrp em Octocorallia. (AU)