Busca avançada
Ano de início
Entree

IDEIA - um framework universal para RFID e aplicativos de inteligência artificial

Resumo

A despeito do grande interesse pelas modernas tecnologias de identificação, muitas empresas ainda estão céticas quanto ao retorno sobre o investimento que pode ser obtido com estas tecnologias. Este obstáculo de adoção é particularmente visível para a tecnologia RFID (Identificação por Rádio Freqüência), que é em parte explicado pelo fato das expectativas sobre os projetos estarem focadas na tecnologia e não na integração eficiente desta à solução de uma demanda específica, o que pressupõe conhecer bem os problemas de domínio da aplicação. O RFID não é uma tecnologia auto-utilizável, o que significa que sem a devida integração, os sinais não terão significado e por conseqüência, não poderão agregar valor a nenhum tipo de negócio fim. Casos práticos de sucesso quanto ao reuso e versatilidade de soluções para a tecnologia de RFID ainda são um desafio a ser alcançado. Uma das virtudes da tecnologia RFID (ainda pouco explorada pelas soluções atuais de mercado) é facilitar a identificação de falhas e exceções quando aplicada adequadamente em um processo. Esta identificação possibilitará o estabelecimento de relações de "causa-efeito" entre eventos previsíveis mas não-controláveis e o resultados encontrados nos processos padrão, a identificação de etapas redundantes e repetitivas, e a possibilidade de registrar no próprio item físico as etapas que foram monitoradas pelo RFID. A contra partida tecnológica de sistemas baseados em RFID é que, via de regra, estes geram um fluxo de dados muito maior do que suas tecnologias precursoras de captura (como o código de barras, por exemplo). Este efeito colateral implica na necessidade de reestruturação dos Sistemas de Informação, que agora vêem sua complexidade aumentar consideravelmente porque precisam lidar com a composição de informações individualizadas, principalmente para processos automatizados. Outros desafios estão relacionados com a garantia de que todo o processo seja rastreável e com a conseqüente readequação dos tempos de processamento requeridos. Na busca pela geração de valor (e por mitigar as complexidades que surgem com essa tecnologia), foi desenvolvida uma abordagem denominada de Manufatura Informada. Esta abordagem baseia-se na separação entre a etapa de percepção do processo e a tomada de decisão nos sistemas de controle. Esta separação possibilita uma utilização do RFID não limitada a um sistema de identificação automática de dados, ou seja, a identificação serve para associar produtos em transformação a um processo anômalo, envolvendo assim a captura, tratamento e associação de informação e não a identificação direta, como uma metáfora do código de barras. Esse projeto pretende comprovar a viabilidade técnica do desenvolvimento do framework IdeIA (Framework para RFID e Aplicativos de Inteligência Artificial) que propicie uma estrutura flexível, adaptável aos processos mais corriqueiros de aplicações RFID, e ao mesmo tempo modular para não requerer um ambiente rebuscado ou complexo para sua implantação e operação. Esse software terá módulos básicos responsáveis pela integração dos dados dos leitores, suporte a outros módulos (como é o caso da contextualização dos dados), bem como interfaces para aplicações clientes externas; bem como a da implementação do módulo CONTEXT referente à contextualização de dados coletados. Enquanto as soluções de RFID disponíveis no mercado procuram um problema a ser solucionado, a proposta do framework .IdeIA atende às necessidades (reais e sem solução satisfatória) de rastreabilidade de processos, melhoria contínua, quantifica automaticamente os indicadores de processo e sobretudo, identifica on-line os indicadores que estiverem abaixo das metas pré-estabelecidas. Aliado a essas características, o framework IdeIA, por seu caráter universal, flexível e modular,objetiva adequar-se a qualquer ambiente computacional. (AU)