Busca avançada
Ano de início
Entree

Monitoramento da afidofauna em Brassica spp. e sua interação na dispersão de vírus em áreas de cultivo intensivo do estado de São Paulo

Processo: 18/17287-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Alexandre Levi Rodrigues Chaves
Beneficiário:Alexandre Levi Rodrigues Chaves
Instituição-sede: Instituto Biológico (IB). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Cátia Jacira Martins de Moura ; Lígia Maria Lembo Duarte ; Marcelo Eiras ; Maria Amelia Vaz Alexandre
Assunto(s):Vírus de plantas  Carlavirus  Potyvirus  Caulimovirus  Afídeos  Papaverales  Epidemiologia 

Resumo

O Estado de São Paulo é o maior produtor de brássicas do Brasil, e se destaca pelo cultivo de uma ampla diversidade de variedades de interesse econômico. Devido aos sistemas de cultivo intensivo, constata-se, nas áreas de plantio, o agravamento dos problemas fitotossanitários, como, por exemplo, as viroses que podem causar danos, perdas econômicas e, consequentemente, elevação dos custos de produção. No Brasil, a maioria das espécies de vírus relatadas em brássicas é transmitida por afídeos, merecendo destaque: o Turnip mosaic virus (TuMV, Potyvirus), o Cauliflower mosaic virus (CaMV, Caulimovirus) e o Cole latent virus (CoLV, Carlavirus). Apesar de ocupar cerca de 50% da área paulista destinada ao cultivo de olerícolas folhosas, pouco se sabe sobre os aspectos epidemiológicos da interação dos afídeos vetores na dispersão do TuMV, CaMV e CoLV em brássicas. Esses aspectos são importantes, não somente para o entendimento da doença como também para auxiliar nas tomadas de decisões e estratégias de manejo das culturas, visando à redução das perdas. Portanto, pretende-se com o desenvolvimento desta proposta, obter um panorama atual da afidofauna nos principais centros de cultivo intensivo de brássicas localizados no cinturão verde do Estado de São Paulo e sua interação na dispersão e incidência do TuMV, CaMV e CoLV. Os resultados serão obtidos através da associação do monitoramento e identificação da afidofauna presente no campo, utilizando armadilhas adesivas amarelas e do tipo Moericke, com a detecção sorológica e molecular dos vírus em plantas e afídeos. Pretende-se assim, propor um calendário que auxilie nas estratégias de manejo da cultura de brássicas para o cinturão verde de São Paulo, uma vez que não há, nas variedades comerciais, genes efetivos de resistência para os vírus relatados em brássicas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RODRIGUES, LEILANE KARAM; DE OLIVEIRA, AGATHA MOTA; RODRIGUES CHAVES, ALEXANDRE LEVI; KITAJIMA, ELLIOT WATANABE; HARAKAVA, RICARDO; EIRAS, MARCELO. Cauliflower mosaic virus naturally infects wild radish (Raphanus raphanistrum) in Brazil. AUSTRALASIAN PLANT DISEASE NOTES, v. 14, n. 1 JUL 31 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.