Busca avançada
Ano de início
Entree

Famílias de asteroides jovens, explorando o limite entre as famílias de fissão e as famílias collisionais

Processo: 18/20999-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Astronomia do Sistema Solar
Pesquisador responsável:Valerio Carruba
Beneficiário:Valerio Carruba
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEG). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Guaratinguetá. Guaratinguetá , SP, Brasil
Assunto(s):Astrodinâmica  Asteroides  Família de asteroides  Família de colisão 

Resumo

Famílias de asteroides são grupos de objetos que tem órbitas similares. Elas podem ser produzidas por colisões entre um projétil e o corpo progenitor (famílias colisionais), ou por causa da fissão de um corpo secundário, ou por uma colisão de baixa energia com um corpo primário rapidamente rotacionando (grupos de fissão). Famílias colisionais tendem a ser mais dispersas em semi-eixo maior e podem ser identificadas em espaços de elementos próprios. Grupos de fissão tendem a ser mais compactos e são usualmente identificados em espaços de elementos orbitais médios. Entre as famílias de asteroides, apenas aquelas que foram criadas há menos de ~7 milhões de anos podem ser datadas usando o método da integração das órbitas no passado (BIM). Neste método as diferenças entre as longitudes dos nodos e pericentros de membros das famílias com respeito aos ângulos do corpo parente são simuladas no passado e são monitoradas para averiguar possíveis convergências mútuas. Recentemente, um outro método baseado em encontros próximos no passado entre o corpo progenitor e membros da família foi proposto para datar famílias jovens de asteroides. Quatro famílias de asteroides, (3152) Jones,(7353) Kazuya, (108138) 2001 GB11, e (909) Ulla, foram também recentemente identificadas como muito novas usando o BIM. Neste trabalho propomos usar o método de datação de famílias baseado em encontros próximos para determinar as idades e os membros destas quatro famílias. Algoritmos de aprendizagem de máquina serão aplicados para objetivamente averiguar a presença de possíveis sub-famílias e para datar estes grupos. Resultados preliminares para a família de (108138) 2001 GB11 mostram que é possível encontrar grupos de fissão dentro de famílias colisionais, e que esta ocorrência poderia ser observada em outras famílias, como aquela de (3152) Jones. Famílias "mistas", onde eventos colisionais e de fissão ocorreram em curtos intervalos de tempo, poderiam ser mais comuns do que anteriormente pensado. (AU)

Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (2 total):
Estudo sobre dinâmica dos asteroides ganha destaque 
Estudo sobre dinâmica dos asteroides ganha destaque 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CARRUBA, V.; ALJBAAE, S.; LUCCHINI, A. Machine-learning identification of asteroid groups. Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, v. 488, n. 1, p. 1377-1386, SEP 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.