Busca avançada
Ano de início
Entree

Indo a fundo na regulação da cromatina de Trypanosoma cruzi: identificação de novas moléculas e questionando seu possível impacto no controle da transcrição

Processo: 18/15553-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores - Fase 2
Vigência: 01 de julho de 2019 - 30 de junho de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Bioquímica de Microorganismos
Pesquisador responsável:Julia Pinheiro Chagas da Cunha
Beneficiário:Julia Pinheiro Chagas da Cunha
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Fabíola Barbieri Holetz ; Maria Carolina Quartim Barbosa Elias Sabbaga ; Simone Guedes Calderano ; Stenio Perdigão Fragoso
Vinculado ao auxílio:11/22619-7 - Alterações nucleares e na cromatina ao longo do ciclo celular e senescência de células de mamíferos, AP.JP
Assunto(s):Proteômica  Trypanosoma cruzi 

Resumo

No JP1, nosso grupo descreveu muitas proteínas associadas à cromatina além de mais de 40 MPTs em histonas, diferencialmente expressas nas formas replicativas versus não replicativas de Trypanosoma cruzi. Regiões clássicas de eu e heterocromatina estão presentes em seus núcleos e mudam dramaticamente durante a diferenciação de epimastigotas para metacíclicos (EàM). Tradicionalmente, essas regiões de cromatina (e algumas histonas MPTs) estão associadas à regulação da transcrição. No entanto, em tripanossomas, é geralmente aceito que mecanismos pós-transcricionais governam a expressão gênica, já que não foram encontradas regiões promotoras clássicas de RNA Pol II, e a transcrição é principalmente policistrônica. Assim, nosso principal objetivo é entender essa aparente controvérsia, investigando o papel da regulação da cromatina em um potencial controle de transcrição. Assim, usando parasitas durante EàM e em diferentes estágios do ciclo celular, pretendemos avaliar, i. a taxa de transcrição em escala genômica global; ii. se a localização genômica interfere na expressão de um gene repórter posicionado em loci genômicos distintos; iii. o conteúdo da cromatina loci-específicos. Esses objetivos serão alcançados usando metodologias de ponta, como o Global Run on sequencing (GRO-seq), a análise de imunoprecipitação de cromatina locus-específica (CLASP ou enCHIP), inserção locus-específica de genes repórter utilizando sistemas CRISPR / Cas9. Prevemos que o uso desse organismo ancestral, que possui muitas peculiaridades genômicas, será uma ferramenta importantíssima para entender regulação da cromatina/epigenética, possivelmente com a descoberta de novos e importantes mecanismos. (AU)