Busca avançada
Ano de início
Entree

Perspectivas pretéritas sobre limiares críticos do sistema climático: a Floresta Amazônica e a célula de revolvimento meridional do Atlântico (PPTEAM)

Processo: 18/15123-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores - Fase 2
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2024
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Geológica
Pesquisador responsável:Cristiano Mazur Chiessi
Beneficiário:Cristiano Mazur Chiessi
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Alan Cavalcanti da Cunha ; Ana Luiza Spadano Albuquerque ; André Oliveira Sawakuchi ; Fabiano Do Nascimento Pupim ; Francisco William da Cruz Junior ; Gilvan Sampaio de Oliveira ; Ingo Daniel Wahnfried ; Renato Paes de Almeida ; Tatiana da Silva Pereira ; Vinícius Ribau Mendes ; Wânia Duleba
Vinculado ao auxílio:12/17517-3 - Resposta da porção oeste do Oceano Atlântico às mudanças na circulação meridional do Atlântico: variabilidade milenar a sazonal, AP.PFPMCG.JP
Assunto(s):Amazônia 

Resumo

Sinergias negativas entre mudanças climáticas e desmatamento podem induzir a floresta amazônica a transpor um limiar crítico que resulte na substituição em larga escala da floresta tropical por ecossistemas não-florestais. No entanto, as incertezas associadas a essa substituição são grandes e estão, pelo menos em parte, relacionadas a outro elemento do sistema climático que pode igualmente estar próximo de um limiar, a célula de revolvimento meridional do Atlântico (CRMA). Um possível colapso da CRMA causaria marcantes mudanças na distribuição de calor superficial no Atlântico, afetando intensamente a precipitação amazônica. Tais mudanças foram repetidamente registradas em arquivos geológicos. Neste projeto, nós propomos reconstituir, com resolução temporal nunca antes obtida, as mudanças climáticas e ambientais pretéritas da Amazônia e do oceano adjacente para os últimos ca. 250 ka, amparados em extensiva calibração de indicadores paleoambientais. Para tanto, serão analisados parâmetros geoquímicos, isotópicos e biológicos em (i) sedimentos fluviais modernos da América do Sul tropical para calibrar indicadores paleoambientais, e (ii) testemunhos sedimentares marinhos do oeste do Atlântico tropical para reconstituir condições climáticas e ambientais pretéritas. Este projeto aprofundará o entendimento a respeito das respostas e mecanismos internos de retroalimentação da Amazônia e do oeste do Atlântico tropical para (i) mudanças climáticas abruptas, (ii) climas mais quentes que o pré-industrial, e (iii) condições ambientais de contorno distintas das pré-industriais, colaborando na caraterização de cenários futuros para a Amazônia e o oceano adjacente. Este projeto também permitirá consolidar um grupo de pesquisa em paleoceanografia e paleoclimatologia de alto nível na EACH/USP. (AU)