Busca avançada
Ano de início
Entree

Mapeando a progressão do declínio cognitivo subjetivo para comprometimento cognitivo leve e demência da Doença de Alzheimer com biomarcadores multimodais

Processo: 18/15571-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores - Fase 2
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Marcio Luiz Figueredo Balthazar
Beneficiário:Marcio Luiz Figueredo Balthazar
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Fernando Cendes ; Iscia Teresinha Lopes Cendes ; Márcia Regina Cominetti ; Monica Sanches Yassuda
Vinculado ao auxílio:11/17092-0 - Biomarcadores na Doença de Alzheimer e comprometimento cognitivo leve: estudo de métodos de ressonância magnética funcional e marcadores liquóricos e plasmáticos, AP.JP
Assunto(s):Biomarcadores  Doença de Alzheimer  Ressonância magnética  Neurologia  Demência 

Resumo

A doença de Alzheimer (DA) é o distúrbio neurodegenerativo mais comum e sua prevalência está aumentando principalmente devido ao envelhecimento da população. Os ensaios clínicos recentes com drogas anti-amiloide e outros medicamentos na demência da DA e Comprometimento Cognitivo Leve (CCL) falharam, e uma possível explicação é que o diagnóstico é feito muito tarde, quando os indivíduos já apresentam sintomas clínicos relevantes. Assim, o conceito de Declínio Cognitivo Subjetivo (DCS), quando os indivíduos apresentam queixas cognitivas, mas o desempenho neuropsicológico normal, tem ganhado maior relevância ao longo dos últimos anos. Recentemente, Jack et al. (2016) propôs uma nova classificação descritiva para biomarcadores da DA, A/T/N (alterações em amiloide, tau e neurodegeneração), que podem ser utilizadas em todo o espectro da fisiopatologia da DA (incluindo DCS). Neste projeto, nosso objetivo é determinar quais são os melhores biomarcadores para predizer a conversão de DCS para CCL e de CCL para demência. Seguiremos longitudinalmente o envelhecimento normal, DCS e CCL, sub classificando os grupos de acordo com a classificação A/T/N: biomarcadores DA normais (DA-) (A-T-N-); suspeita de fisiopatologia não-Alzheimer (SNAP) (A-T+ N-, A-T-N+ ou A-T + N+) e continuum fisiopatológico de DA (DA+) (qualquer combinação de A+). Avaliaremos longitudinalmente biomarcadores multimodais novos e os já bem estabelecidos na avaliação inicial e por 4 ano: a) Métodos estruturais e funcionais de ressonância magnética; b) Análises liquóricas de: : - Marcadores da DA: A²40, A²42, A² oligomers, p-Tau, t-Tau, ADAM-10; - marcadores de disfunção sináptica: VILIP-1 e neurogranina; neurofilamento de cadeia leve; - Neuroinflamação: YKL-40, MCP-1, IL-6, IL-10, IL-12, IL-18 e TNF-±; d) fatores genéticos: APOE, CLU, PICALM e CR1; e) reserva cognitiva; f) doença vascular de substância branca observada à ressonância magnética. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pós-doutorado em Neurociência com bolsa da FAPESP 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.