Busca avançada
Ano de início
Entree

Promovendo o planejamento espacial e conservação de praias por meio de uma abordagem ecossistêmica

Processo: 18/19776-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Regular
Vigência: 01 de junho de 2019 - 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Pesquisador responsável:Alexander Turra
Beneficiário:Alexander Turra
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Antonia Cecília Zacagnini Amaral ; Daniel Gorman ; Guilherme Nascimento Corte ; Hélio Hermínio Checon ; Ivan Rodrigo Abrão Laurino ; Luis Americo Conti ; Thiago Gonçalves Souza ; Yasmina Michel Liliane Shah Esmaeili
Assunto(s):Ecossistemas 

Resumo

Praias arenosas fornecem bens e serviços ecossistêmicos essenciais para populações humanas em todo o mundo. Infelizmente, praticamente todas as praias estão ameaçadas hoje em dia devido aos impactos do turismo, urbanização e mudanças climáticas, o que pode comprometer o funcionamento do ecossistema. Para proteger com sucesso os ecossistemas de praias arenosas em longo prazo, as estratégias de conservação devem ser baseadas em conhecimento científico sólido e integrado. No entanto, as praias arenosas são o ecossistema costeiro menos estudado e as informações disponíveis sobre sua biodiversidade e processos ecossistêmicos são insuficientes para apoiar a tomada de decisões baseada no ecossistema. Agravando este cenário, quase todos os estudos realizados em praias até agora consideraram apenas um componente desse ecossistema (por exemplo, região intertidal ou supralitoral, sistema bêntico ou pelágico), comprometendo, portanto, um entendimento completo da estrutura e funcionamento da praia. Além disso, os esforços de conservação e manejo de praias de areia concentram-se principalmente em aspectos físicos ou socioeconômicos, desconsiderando características ecológicas fundamentais, como biodiversidade funcional, relações tróficas e serviços ecossistêmicos prestados. Pretendemos fomentar a abordagem baseada no ecossistema para a conservação de praias combinando pesquisa de campo e métodos modernos (por exemplo, vídeos subaquáticos, análise de isótopos estáveis e modelagem de habitats) para melhor entender a estrutura, funcionamento e serviços do ecossistema de praias arenosas. Além disso, nosso desenho amostral não será limitado a um grupo, habitat ou processo específico, mas incluirá todos os compartimentos de praia arenosa, da zona de arrebentação ao supralitoral, e considerará as comunidades bentônicas e pelágicas e suas interações. Este estudo será realizado em 24 praias com diferentes características ambientais, localizadas no litoral norte do estado de São Paulo, uma "área modelo" que contém praias arenosas com morfodinâmica distinta em uma escala espacial relativamente pequena. Esta abordagem holística permitirá a investigação de tópicos negligenciados na ecologia de praias, a compreensão dos principais componentes e processos ecológicos, incluindo os critérios usados para definir Áreas Ecologicamente ou Biologicamente Significativas (EBSAs, sensu a Convenção sobre Diversidade Biológica), e a identificação das características ambientais que melhor explicam a biodiversidade da praia e os serviços ecossistêmicos. Com essas informações, executaremos modelos de habitats para projetar os resultados em todas as praias ao longo de todo o litoral norte de São Paulo e elaborar um mapa da EBSA, que estará disponível para ser incorporado em outras discussões sobre gerenciamento de praias. Como etapa final, os princípios científicos acima e o processo de inclinação para adaptá-los às praias arenosas serão então traduzidos em uma estrutura para promover o uso da abordagem baseada em ecossistemas no planejamento e conservação do espaço de praia. (AU)