Busca avançada
Ano de início
Entree

Acervos e práticas de conhecimento: saberes e histórias da antropologia

Processo: 19/06516-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Vigência: 01 de julho de 2019 - 05 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia - Teoria Antropológica
Pesquisador responsável:Fernanda Arêas Peixoto
Beneficiário:Fernanda Arêas Peixoto
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil

Resumo

O objetivo desse colóquio internacional é lançar uma reflexão sobre acervos antropológicos que contribuem para reavermos histórias da antropologia, repensando com elas a própria disciplina, em termos de suas práticas e procedimentos. Não se trata de realizar uma discussão técnica sobre arquivística, mas de projetar uma reflexão de cunho teórico-metodológico a partir dos arquivos: os usos que deles são feitos e as questões que eles colocam como instrumentos de saber que são, em prol de um debate alargado sobre formas e tecnologias do conhecimento. Atentar para as estratégias de produção das histórias e memórias da antropologia, seus documentos, instituições de guarda e intérpretes - em museus, arquivos ou institutos de pesquisa - nos convida a esboçar uma etnografia das tecnologias de informação que amparam essas histórias, bem como das lógicas que orientam as maneiras que dispomos dessas narrativas. Se os acervos fornecem fontes e materiais para as pesquisas nas mais diversas áreas, os antropólogos temos projetado reflexões sistemáticas sobre eles, que incidem sobre práticas e produção de saberes; informação e conhecimento; histórias e memórias; pesquisa em arquivo e etnografia etc. As discussões acumuladas sobre esses temas vêm definindo novas pautas e reorientando paradigmas, mas ainda são raros os momentos de troca entre os pesquisadores envolvidos com tais problematizações, que terminam dialogando no interior de seus espaços de atuação rotineiros sem, muitas vezes, conseguir ampliar interlocuções na direção de outros contextos institucionais e nacionais, assim como de outros campos e subcampos do conhecimento. Nesse sentido, um dos propósitos do encontro é construir um espaço alargado de reflexão e trocas entre especialistas e instituições variadas sobre teoria, método e história da antropologia. (AU)