Busca avançada
Ano de início
Entree

Obesidade e sarcopenia: influência da inflamação e parâmetros metabólicos

Processo: 16/21384-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2019 - 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Sarah Monte Alegre
Beneficiário:Sarah Monte Alegre
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Allan de Oliveira Santos ; Elinton Adami Chaim
Assunto(s):Obesidade  Sarcopenia  Atrofia muscular  Resistência à insulina  Marcadores inflamatórios  Citocinas  Vitamina D  Cirurgia bariátrica 

Resumo

A sarcopenia é caracterizada pela perda progressiva de massa muscular e força associada com a idade. A presença de sarcopenia está associada com limitações funcionais, aumento de co-morbidades e mortalidade. As consequências da sarcopenia na disfunção física podem se agravar em indivíduos obesos. A obesidade sarcopênica refere-se à presença de sarcopenia e obesidade, e é caracterizada por uma menor quantidade de músculo em relação à gordura corporal. A perda da qualidade muscular favorece ao aumento da infiltração de gordura, aumentando citocinas pró-inflamatórias. Estudos indicam que a inflamação é o elo entre sarcopenia e obesidade, o possível mecanismo entre inflamação e sarcopenia está na ação catabólica das citocinas pró-inflamatórias sobre o músculo. Parâmetros de obesidade como peso, IMC, circunferência de cintura e massa gorda, além de resistência à insulina e o estado pró-inflamatório estão inversamente correlacionados com níveis plasmáticos de vitamina D. Estudos observaram risco aumentado para sarcopenia em homens e mulheres com idade avançada e que tinham menores níveis de 25 [OH] D. Objetivo: Avaliar a presença de sarcopenia em pacientes portadores de obesidade, com idade entre 18 e 59 anos, antes e após a cirurgia bariátrica. Resultados esperados: A presença de sarcopenia na obesidade estará relacionada ao quadro de inflamação sub-clínica, pior perfil metabólico e composição corporal, além de menores níveis de vitamina D. (AU)