Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa em epigenética do Schistosoma mansoni e na relação parasita-hospedeiro

Processo: 19/07072-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 22 de julho de 2019 - 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Fernanda Janku Cabral
Beneficiário:Fernanda Janku Cabral
Pesquisador visitante: Christoph Grunau
Inst. do pesquisador visitante: Centre National De La Recherche Scientifique/Cnrs, França
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Transcriptoma  Schistosoma mansoni  Epigênese genética  Metilação 

Resumo

A esquistossomose é uma doença endêmica nas regiões tropicais e subtropicais do planeta. Estima-se hoje que aproximadamente 200 milhões de pessoas estejam infectadas, e mais de um milhão e meio estejam incapacitadas pela doença. O Schistosoma mansoni, parasita causador da esquistossomose, apresenta um programa de desenvolvimento intrigante e apesar de vários esforços para caracterizar os genes, transcritos e o epigenoma do parasita ainda pouco se sabe como a expressão gênica é regulada no ciclo. Este projeto tem como objetivo investigar as principais modificações pós-traducionais de histonas e se essas marcas são dinamicamente adquiridas e perdidas entre os estágios, bem como os prováveis co-reguladores transcricionais que participam da regulação da expressão gênica nos estágios do parasita. Mais especificamente, serão investigados: 1) a dinâmica de aquisição e perda das modificações pós-traducionais de histonas em cercarias/esquistossômulos e vermes adultos por espectrometria de massas; 2) elaboração de um mapa comparativo entre as modificações pós-traducionais de histonas e a expressão das enzimas que catalisam a modificação pós-traducional das histonas nos estágios; e 3) determinação do papel dos prováveis co-reguladores transcricionais, como a proteína HP1, que provavelmente atua no silenciamento da expressão gênica em cercarias. Portanto, com este projeto espera-se avançar no conhecimento dos mecanismos que regulam a expressão gênica no estágios, e no futuro propor novas estratégias de tratamento dessa parasitose. (AU)