Busca avançada
Ano de início
Entree

Modelagem do crescimento de penas de frangos de corte

Processo: 19/01853-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2019 - 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Nilva Kazue Sakomura
Beneficiário:Nilva Kazue Sakomura
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Pesq. associados:Euclides Braga Malheiros ; Jacob van Milgen ; Kênia Cardoso Bícego ; Marcos Macari ; RoberT Mervyn Gous
Assunto(s):Penas  Termografia  Modelos matemáticos  Frangos de corte 

Resumo

Objetiva-se entender o dinamismo do crescimento das penas em frangos de corte de diferentes sexos e linhagens. Primeiramente, determinar-se-á em função da idade das aves o crescimento em massa e comprimento das penas de diferentes regiões do corpo, assim como a alteração em sua composição química e aminoacídica. Para tal, frangos machos e fêmeas das linhagens Cobb 500MV e Ross 308 AP (AP95) terão o comprimento, peso total, composição química e aminoacídica das penas da região do pescoço, dorso-torácico, dorso-lombar, rabo, peito, pernas, e asas periodicamente mensurados. Estes dados serão modelados pela função Gompertz para determinação dos parâmetros de crescimento de penas. Posteriormente será conduzido um ensaio para mensurar a perda diária das penas das linhagens acima descritas. Este estudo permitirá estabelecer os períodos de muda de penas, possibilitando ajustar a função Gompertz às diferentes gerações de penas que surgem no crescimento. O ensaio de perdas de penas possibilitará estimar a exigência de aminoácidos para mantença de penas. Os dados gerados nos ensaios serão introduzidos em modelos fatoriais de predição de exigências de aves por aminoácidos e energia. Será conduzido um terceiro ensaio com objetivo de padronizar uma metodologia para estimar o empenamento de frangos de corte utilizando a termografia. Os dados obtidos de temperatura do dorso com câmera termográfica serão correlacionados com a densidade de penas da referida área. A partir destes dados será desenvolvida uma equação para predizer o empenamento. Um quarto ensaio será conduzido para avaliar o efeito da suplementação de diferentes níveis e fontes de metionina para frangos de corte sobre o empenamento, através da metodologia da termografia. (AU)