Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do estresse oxidativo pulmonar como alvo terapêutico dos probióticos Lactobacillus rhamnosus e Bifidobacterium breve em modelo experimental de doença pulmonar obstrutiva crônica

Processo: 19/03402-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2019 - 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Flávio Aimbire Soares de Carvalho
Beneficiário:Flávio Aimbire Soares de Carvalho
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Pesq. associados:Alexandre de Castro Keller
Assunto(s):Imunologia  Probióticos  Doença pulmonar obstrutiva crônica 

Resumo

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é uma síndrome caracterizada pela destruição do parênquima pulmonar, com redução da ventilação e da perfusão pulmonar e comprometimento da capacidade de trocas gasosas. Os pacientes são diagnosticados como portadores de bronquite crônica ou enfisema pulmonar. Um agravante na DPOC é que, embora a terapia medicamentosa seja a primeira opção de tratamento, principalmente com os corticóides e broncodilatadores, esses fármacos apresentam pouco efeito sobre os pacientes enfisematosos, e não são capazes de atenuar de forma eficaz os sintomas da doença. Além disso, o tratamento farmacológico convencional apresenta efeitos colaterais graves. Por esse motivo, a DPOC tem um alto índice de morbidade e mortalidade, e se insere entre as principais causas de internação e de gastos com medicamentos no sistema de saúde pública. A reposta inflamatória em pacientes enfisematosos se dá pela exposição crônica às partículas ou gases nocivos, e nesse sentido o tabagismo é uma das principais causas de DPOC. A resposta inflamatória exacerbada das vias aéreas na DPOC é caracterizada pela presença de células inflamatórias e da secreção de mediadores pró-inflamatórios no microambiente pulmonar. Atualmente é reconhecido que a progressão da destruição alveolar na DPOC, ainda que o indivíduo enfisematoso cesse de fumar, está diretamente relacionada ao aumento do metabolismo do estresse oxidativo em células epiteliais brônquicas, e inflamatórias, tais como, neutrófilos e macrófagos alveolares. Essas células quando ativadas pela fumaça de cigarro secretam citocinas, quimiocinas, proteases e radicais livres. Isso resulta em hipersecreção de muco, perda da elasticidade pulmonar, e detruição dos alvéolos devido às alterações no equilíbrio entre a atividade de enzimas pró- e antioxidantes no pulmão. Nessas condições, um crescente número de estudos tem demonstrado que a suplementação com probióticos na dieta pode ter um potencial benéfico para reduzir a inflamação de doenças crônicas pulmonares, sem apresentar efeitos colaterais. Considerando que o desequilíbrio entre as respostas pró- e antioxidantes na exacerbação do estresse oxidativo é fundamental para a progressão e manutençao da DPOC, há interesse em compreender se os probióticos são capazes de agir como antioxidantes nessa doença. Nesse sentido, o presente projeto visa investigar o efeito dos probióticos Lactobacillus rhamnosus e Bifidobacterium breve sobre os mecanismos celulares e moleculares envolvidos no estresse oxidativo pulmonar em modelo experimental de DPOC. (AU)