Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de um sistema de telefonia móvel no controle da hipertensão arterial: ensaio clínico randomizado

Processo: 18/20948-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2019 - 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Médico-cirúrgica
Pesquisador responsável:Angela Maria Geraldo Pierin
Beneficiário:Angela Maria Geraldo Pierin
Instituição-sede: Escola de Enfermagem (EE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/17157-6 - Efeito de um sistema de telefonia móvel no controle da hipertensão arterial: ensaio clínico randomizado, BP.TT
Assunto(s):Espectrometria de massas  Hipertensão  Telemedicina  Adesão  Controle 

Resumo

RESUMOIntrodução: O controle da pressão arterial em hipertensos é um problema ainda recorrente e requer dos profissionais de saúde novas estratégias de intervenções. Estudos em todo o mundo mostram resultados positivos na adoção de estratégias com uso de tecnologias no controle da pressão arterial e o envio de mensagens pelo telefone celular pode ser um recurso para maximizar a adesão ao tratamento e consequentemente o controle da pressão arterial. Destaca-se ainda, que são raros os estudos, em nosso meio, que somam à essa estratégia a avaliação da adesão pela verificação dos níveis séricos de medicamentos anti-hipertensivos. Objetivo: Comparar o efeito do envio de mensagens de texto por telefonia móvel e os cuidados usuais, em hipertensos em tratamento ambulatorial. Métodos: Ensaio clínico randomizado que será realizado na Unidade de Hipertensão da Disciplina de Nefrologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Critérios de inclusão: idade >18 anos, diagnóstico de hipertensão arterial essencial, pressão arterial não controlada, possuir telefone móvel, apresentar escore no Mini Exame do Estado Mental compatível com a escolaridade e aceitar participar voluntariamente do estudo, assinando o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Critérios de exclusão: idade >65 anos, hipertensão secundária, gestantes, pressão arterial sistólica >180 mmHg e diastólica >110 mmHg, taxa de filtração glomerular <30 ml/min. e Índice de Massa Corporal >40 Kg/m². Cada grupo será composto por 120 participantes, que serão alocados de maneira randomizada nos dois grupos de estudo. Os hipertensos do grupo intervenção irão receber mensagens de texto sobre a doença e tratamento, do tipo SMS, duas vezes por semana, durante 10 semanas. Os hipertensos do grupo controle receberão os cuidados usuais já realizados na instituição. Ambos os grupos receberão o tratamento básico recomendado, inclusive orientações sobre a doença e tratamento pela enfermeira pesquisadora do estudo e fornecimento de panfleto educativo. A avaliação do seguimento será realizada no início e ao final do estudo, após 10 semanas, da seguinte maneira: todos os participantes serão entrevistados para coleta de dados biopsicossociais; hábitos e estilos de vida; comorbidades; medicamentos em uso e avaliação da adesão ao tratamento de forma indireta com uso do instrumento Morisky- 8 itens e de forma direta pela avaliação na urina dos medicamentos anti-hipertensivos pela técnica de cromatografia líquida de alta eficiência associada à espectrometria de massa. Serão realizadas ainda, avaliação antropométrica; exames laboratoriais; medidas da pressão arterial de consultório com aparelho automático validado e Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial de 24h. O desfecho primário será o controle da pressão arterial pela medida de consultório (<140 mmHg na pressão sistólica e <90 mmHg na pressão diastólica); e pela Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial no período da vigília (<135 mmHg na pressão sistólica e <85 mmHg na diastólica). Para análise dos dados serão utilizadas medidas de tendência central e dispersão, os testes Ç2 de Pearson, teste exato de Fisher, Mann-Whitney, Wilcoxon-Mann-Whitney. (AU)