Busca avançada
Ano de início
Entree

Transcriptoma da sinalização química bacteriana em Salmonella Typhimurium, investigação de enteropatógenos bacterianos globais emergentes em São Paulo e emprego de modelo alternativo de infecção no estudo da patogênese

Processo: 19/03049-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2019 - 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Cristiano Gallina Moreira
Beneficiário:Cristiano Gallina Moreira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Salmonella typhimurium  Virulência 

Resumo

Sinalização química em bactérias patogênicas é um mecanismo empregado para interagir com o hospedeiro e sua respectiva microbiota. Através desta interação patógeno-hospedeiro ocorre a regulação dos mecanismos de virulência em bactérias como o sistema QseBC e as proteínas VisP/YgiV. Estudando o mecanismo de sinalização química de 2-componentes QseBC do autoindutor-3 (AI-3), epinefrina (Epi) e noraepinefrina (NE) em Salmonella enterica sorovar Typhimurium foi aberta uma nova perspectiva para desvendar os mecanismos de patogenicidade. Dentre estes, a proteína VisP (Virulence and stress-related Periplasmic protein) foi reportada, onde seu papel inicial na interação com a enzima LpxO (Dioxigenase Fe2+/ ±-ketoglutarato-dependente, bem como na montagem das cadeias de antígeno-O via sistema Wzz em S. Typhimurium tem sido estudado e elucidado pelo nosso grupo, e YgiV que é um potencial regulador do tipo AraC, ainda sem função completamente definida. Novos mecanismos ainda precisam ser esclarecidos, com isso a partir da análise transcriptomica de YgiV, QseC e VisP e a intricada regulação gênica dos operons qseB/qseC e visP/ygiV auxiliará a desvendar novos processos de patogenicidade em S. Typhimurium e demais patógenos correlatos. Paralelamente o estudo detalhado de novos patógenos emergentes como o tipo clonal ST313 de S. Typhimurium auxiliará na elucidação destas cepas diarreiogênicas com potencial infeccioso elevado e circulantes no estado de São Paulo, sua transcriptomica irá auxiliar na compreensão de detalhes na quebra da barreira gastrointestinal para a corrente sanguínea. O estudo também prevê a inovadora utilização de modelo alternativo de infecção in vivo, como Galleria mellonella para melhor avaliar os processos patogênicos bacterianos. A melhor compreensão destes mecanismos pelos quais bactérias se relacionam em comunidades complexas como o intestino humano, albergando um vasto e complexo microbioma, e como as mesmas se autorregulam é essencial. A sinalização química entre microrganismos e o hospedeiro é o aspecto central deste relacionamento, colaborando desta forma no entendimento destes processos e futuro desenvolvimento de novas tecnologias e terapias para o benefício da vida humana. (AU)