Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de tecnologias de produção sustentável de organismos aquáticos com potencial para certificação

Processo: 19/02140-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2019 - 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Fabiana Garcia Scaloppi
Beneficiário:Fabiana Garcia Scaloppi
Instituição-sede: Instituto de Pesca. Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Cristiéle da Silva Ribeiro ; Janaina Mitsue Kimpara
Assunto(s):Balanço de nutrientes  Sustentabilidade  Aquicultura marinha 

Resumo

A partir da década de 90 a produção de peixes passou a ganhar expressão mundial, com a inclusão de rações comerciais em sistemas tradicionais de cultivo. Os policultivos foram substituídos pelos monocultivos intensamente arraçoados, com consequente aumento no custo de produção e desperdício de nutrientes que pode levar à eutrofização de corpos d'água receptores. A aquicultura moderna surge com o desafio de se manter, ao mesmo tempo, eficiente e produtiva, utilizando o mínimo de recursos para produzir o máximo de alimento possível. Neste sentido, nossa proposta tem como objetivo testar modelos de produção multitrófica integrada (IMTA) em aquicultura continental e marinha praticadas em viveiros escavados. Na aquicultura continental, será avaliada a produção de lambari em água de efluente da produção de tilápia ou lambari, com o objetivo de ciclar os nutrientes provenientes da ração e fezes, de modo que fomentem a colonização do perifíton em substratos que servirão de alimento para os lambaris. Na aquicultura marinha, será desenvolvido um sistema em que macroalgas marinhas e moluscos filtradores serão incorporados ao sistema de cultivo de camarões, gerando um efluente com o mínimo de eutrofização, que poderá ser reutilizado na produção de camarões ou lançados ao ambiente natural. Ambos os experimentos serão avaliados por meio das variáveis de desempenho produtivo, balanço de nutrientes na água, viabilidade econômica e sustentabilidade. Os resultados serão divulgados em publicações técnicas e científicas, assim como em evento técnico (dia de campo) para apresentação das tecnologias geradas em forma de vitrine tecnológica dos experimentos em andamento. (AU)