Busca avançada
Ano de início
Entree

Ocorrência, identificação dos patógenos entéricos Campylobacter, Cryptosporidium e Giardia recuperados de água subterrânea para consumo humano e de fezes de animais em seu entorno e avaliação do impacto na saúde

Processo: 18/26246-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2019 - 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Saneamento Ambiental
Pesquisador responsável:Maria Tereza Pepe Razzolini
Beneficiário:Maria Tereza Pepe Razzolini
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Giardia  Avaliação de risco  Abastecimento de água  Águas subterrâneas  Campylobacter  Cryptosporidium 

Resumo

Introdução: A contaminação biológica das águas subterrâneas destinadas ao abastecimento público é pouco estudada no Brasil, embora represente riscos à saúde humana. As fontes de contaminação podem ser esgotos domésticos, fezes de animais de criação (gado, por exemplo) carreadas por escoamento superficial, pela disposição inadequada de resíduos sólidos além da própria conformação hidrológica que pode favorecer vias de contaminação diversas. Esse aspecto é de preocupação, pois os sistemas de abastecimento público de água são importantes sob o ponto de vista de riscos associados a surtos da doença diarreica podendo atingir grandes proporções. Os protozoários patogênicos Giardia e Cryptosporidium merecem atenção pela resistência a processos de desinfecção usualmente utilizados em estações de tratamentos de água convencionais, baixas doses infecciosas e capacidade de sobrevivência no ambiente e ainda pela relevância do papel desses protozoários em surtos de doenças veiculadas pela água. A bactéria patogênica Campylobacter, pouco estudada em fontes de água em nosso meio, tem sido relatada como agente etiológico de surtos de doenças inclusive às de veiculação hídrica. A legislação brasileira, Anexo XX da portaria de consolidação GM/MS5 de 28/09/2018, obriga a realização do monitoramento de cistos de Giardia e oocistos de Cryptosporidium nos pontos de captação de água, não especificando diferenças se superficial ou subterrânea, quando a concentração de E.coli ultrapassar 103UFC/100mL. Ainda estabelece a obrigatoriedade de se manter a avaliação sistemática dos sistemas de abastecimento de água, sob a perspectiva dos riscos à saúde com a implantação do Plano de Segurança da Água (PSA). Objetivo: O objetivo da pesquisa é o de quantificar (oo)cistos de Giardia e de Crytptosporidium e detectar/quantificar Campylobacter em amostras de água de reservatórios subterrâneos de água destinados ao abastecimento público e em fezes de animais das imediações dos reservatórios; realizar a caracterização molecular dos (oo)cistos recuperados e dos isolamentos bacterianos e, avaliar o risco de infecção por esses patógenos via ingestão de água. Métodos: Serão coletadas amostras de dois reservatórios selecionados na região sul do município de São Paulo durante 12 meses em uma frequência quinzenal, perfazendo um total de 48 amostras. As coletas e a análise da concentração dos protozoários serão realizadas de acordo com EPA/1623.1,2012. A detecção/quantificação de Campylobacter será efetuada de acordo com as Normas ISO 19458/2006 e ISO 17995/2005. A quantificação de E. coli será efetuada por ensaio cromogênico empregando o kit Colilert (Iddex), segundo os Standards Methods (22nd ed. 2012), SM 9223. A caracterização molecular dos (oo)cistos e isolados bacterianos será realizada utilizando a reação de PCR quantitativa (qPCR). A probabilidade de infecção será estimada utilizando a aborgagem da avaliação quantitativa de risco microbiológico (AQRM) sendo as incertezas e variabilidades tratadas pelo Método de Monte Carlo. Resultados Esperados: obter resultados quanto à presença e concentração de patógenos - Giardia, Cryptosporidium e Campylobacter - em amostras de água de abastecimento provenientes de reservatórios subterrâneos destinados ao abastecimento público; obter informações sobre a distribuição desses protozoários em águas de reservatórios subterrâneos tendo em vista a escassez desses dados em nosso estado e país; obter dados para subsidiar estimativas de probabilidade de infecção pela ingestão dessas fontes de água; implantar a metodologia de detecção/quantificação de Campylobacter em amostras de água no Laboratório MicroRes da FSP/USP; capacitar recursos humanos para realização da técnica de detecção da bactéria patogênica Campylobacter em amostras de água. (AU)