Busca avançada
Ano de início
Entree

Obtenção e avaliação imunológica de bioconjugados de interesse para a saúde humana

Resumo

Leptospirose é uma zoonose de importância mundial causada pela bactéria patogênica do gênero Leptospira spp., capaz de afetar humanos e animais. As vacinas disponíveis comercialmente, no Brasil somente para uso veterinário, são preparadas a partir de bactérias inativadas e são sorovar especifica. O lipopolissacarídeo (LPS) de leptospira é responsável pela diversidade antigênica e é menos tóxico para células e animais do que outros LPS de bactérias Gram-negativas. O gênero Leptospira contém espécies patogênicas e saprofíticas. São classificados mais de 250 sorovares patogênicos.Várias proteínas tem sido testadas como candidatos vacinais mas poucas foram capazes de induzir proteção parcial em ensaio de desafio contra leptospiras virulentas. Muitos esforços e estudos tem sido realizados com o intuito de desenvolver uma vacina que apresente proteção cruzada à múltiplos sorovares. O Laboratório Especial de Desenvolvimento de Vacinas do Instituto Butantan, antigo Centro de Biotecnologia, vem estudando o emprego da conjugação química de polissacarídeos capsulares bacterianos à proteínas carreadoras e avaliando o potencial desses conjugados como candidatos vacinais. Foram sintetizados conjugados de Haemophilus influenzae tipo b (Hib) e toxóide tetânico, Streptococcus pneumoniae sorotipos 1, 6B, 14 e 23F com proteínas de superfície pneumocócica (PspA), e dados promissores foram obtidos.O presente projeto visa a obtenção e caracterização de dois conjugados de LPS de Leptospira biflexa (leptospira saprofítica) com duas adesinas de leptospiras a Lsa45 e a Lsa66. Análises in silico indicaram alto nível de similaridade da Lsa45 entre espécies patogênicas de leptospira e o gene que codifica a Lsa66 está presente nos principais sorovares de L. interrogans (Copenhageni, Icterohaemorrhagiae, Hardjo, Pomona e Canicola). A Lsa45 adere a laminina, liga-se ao plasminogênio com habilidade de gerar plasmina e é capaz de induzir resposta imunológica humoral e celular em camundongos. A Lsa66 se liga a laminina e a fibronectina, e apresenta proteção parcial em ensaios de desafio em modelo de hamster. As duas proteínas recombinantes reagem com anticorpos presentes em amostras de soro humano de pacientes com a doença confirmada, sugerindo a expressão das mesmas durante a infecção. Será avaliado a influência da conjugação sobre a resposta imunológica induzida pelo LPS e pelas proteínas Lsa45 e Lsa66. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
EGUIA, FARA A. P.; MASCARELLI, DANIELE E.; CARVALHO, ENEAS; RODRIGUEZ, GRETEL R.; MAKIYAMA, EDSON; BORELLI, PRIMAVERA; LIEBERMAN, CELIA; HO, PAULO LEE; BARAZZONE, GIOVANA C.; GONCALVES, VIVIANE M. Development of recombinant human granulocyte colony-stimulating factor (nartograstim) production process in Escherichia coli compatible with industrial scale and with no antibiotics in the culture medium. Applied Microbiology and Biotechnology, v. 105, n. 1, p. 169-183, JAN 2021. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.