Busca avançada
Ano de início
Entree

Processo tecnológico integrado de tratamento pós-colheita de frutas para o controle de podridões, sem o uso de agroquímicos

Processo: 18/25318-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2019 - 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Daniel Terao
Beneficiário:Daniel Terao
Instituição-sede: Embrapa Meio-Ambiente. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Brasil). Jaguariúna , SP, Brasil
Pesq. associados: Bernardo de Almeida Halfeld Vieira ; Fabiana Fumi Cerqueira Sasaki ; Fernanda Ferraz Camilo ; Jorge Minoru Hashimoto ; Katia de Lima Nechet ; Marcia Miguel Castro Ferreira ; Marcos Augusto Bizeto ; Rosa Toyoko Shiraishi Frighetto ; Sonia Claudia Do Nascimento de Queiroz
Bolsa(s) vinculada(s):19/27189-2 - Avaliação dos tratamentos físicos: hidrotérmico por aspersão e radiação UV-C combinado com aplicação de água ozonizada no controle de doenças pós-colheita de frutas, BP.TT
19/26160-0 - Avaliação de revestimentos naturais combinados com óleos essenciais no controle de doenças pós-colheita de frutas, BP.TT
Assunto(s):Ozonização  Controle físico  Resíduos químicos  Doenças pós-colheita 

Resumo

O presente projeto propõe disponibilizar um processo tecnológico inovador, alternativo ao uso de agroquímicos, e validar um equipamento piloto de tratamento pós-colheita de frutas que combina métodos físicos, pelo tratamento hidrotérmico por aspersão e irradiação com luz UVC, com a aplicação de água ozonizada, para controlar doenças pós-colheita de manga, laranja, melão e mamão. Além disso, visando prolongar o período residual de controle do processo, avaliar o uso de óleo mineral ozonizado e de revestimentos naturais à base de carboximetilcelulose e de quitosana impregnada com sílicas mesoporosas contendo compostos bioativos naturais. A motivação para o desenvolvimento desta tecnologia está na demanda de produtores, exportadores e de consumidores de frutas, por tratamentos eficazes, que mantenham o frescor e a qualidade das frutas, e que sejam seguros e limpos, sem o emprego de fungicidas e outros compostos químicos, que deixam resíduos tóxicos prejudiciais à saúde. Os métodos físicos são comprovadamente eficazes no controle de microrganimos além de atuar positivamente na fisiologia da fruta, retardando os processos bioquímicos de amadurecimento e senescência, e induzir mecanismos de resistência contra o ataque de fitopatógenos, prolongando o tempo de vida útil de prateleira. O ozônio possui alta reatividade a alto poder oxidativo e com efeito germicida três mil vezes superior ao cloro. A aplicação de ozônio será avaliada no resfriamento das frutas em água ozonizada e pela pulverização de óleo mineral ozonizado, que possibilita a permanência de ozônio livre e ativo na epiderme da fruta por pelo menos 40 dias. Revestimentos naturais à base de carboximetilcelulose e quitosana com sílicas mesoporosas, além de aumentar o tempo de conservação das frutas, possibilitam, de maneira segura, imobilizar e liberar de forma controlada, compostos bioativos à base de óleos essenciais, prolongando o período de eficiência de controle. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
TERAO, DANIEL; NECHET, KATIA DE LIMA; SHIRAISHI FRIGHETTO, ROSA TOYOKO; CERQUEIRA SASAKI, FABIANA FUMI. Ozonated water combined with heat treatment to control the stem-end rot of papaya. Scientia Horticulturae, v. 257, NOV 17 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.