Busca avançada
Ano de início
Entree

A pesquisa educacional deleuzo-guattariana no Brasil: uma análise a partir da problemática dos modos perceptivos

Processo: 18/14902-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2019 - 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Fundamentos da Educação
Pesquisador responsável:Cintya Regina Ribeiro
Beneficiário:Cintya Regina Ribeiro
Instituição-sede: Faculdade de Educação (FE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Pensamento  Pesquisa educacional  Artes  Percepção  Criação 

Resumo

A investigação tem como alvo empreender uma análise da pesquisa educacional deleuzo-guattariana articulada ao campo da(s) arte(s), por meio da problematização dos modos perceptivos constitutivos das próprias práticas de pesquisa. Especificamente, a proposta focaliza e desenvolve a problemática da percepção, quando analisamos os modos de pesquisar em educação ativados pela força da indiscernibilidade. Teoricamente, o estudo se sustenta na filosofia da imanência de Gilles Deleuze e Félix Guattari, delimitando as discussões sobre percepção, criação, pensamento e sensibilidade. Perseguimos a seguinte hipótese: o enfrentamento da força da indiscernibilidade em favor da criação de outros modos de fazer pesquisa educacional demandaria produzir outro regime de pensamento e sensibilidade, ativar outros regimes de percepção, inventar aquilo que qualificamos como outros modos perceptivos. Metodologicamente, tomando como acervo documental um conjunto de produções acadêmicas realizadas por Programas de Pós Graduação em Educação na última década, no Brasil (2010-2019), o estudo enfrenta a seguinte questão: de que modos o encontro da educação com o campo da(s) arte(s) implicaria a pesquisa educacional deleuzo-guattariana, no que tange à invenção de modos perceptivos outros, e considerando as forças de indiscernibilidade aí em jogo? A investigação contribui para a exploração e a problematização dos múltiplos processos de criação tanto dos modos de pesquisar em educação quanto dos próprios problemas educacionais aí forjados. Com isso, ativa uma discussão irrevogável que, ao pautar a problemática política do pensamento e da sensibilidade a partir dos modos perceptivos, possibilita-nos enfrentar as próprias políticas de sensibilidade e pensamento do trabalho de pesquisa em educação. (AU)