Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel dos subtipos de monócitos, micropartículas circulantes e quimiocinas na doença periodontal associada ao diabetes

Processo: 19/01020-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2019 - 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Carolina Nunes França
Beneficiário:Carolina Nunes França
Instituição-sede: Universidade de Santo Amaro (UNISA). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Débora Pallos ; Francisco Antonio Helfenstein Fonseca ; Maria Cristina de Oliveira Izar ; Yeon Jung Kim
Assunto(s):Diabetes mellitus  Doenças periodontais  Micropartículas  Cardiologia  Quimiocinas 

Resumo

A Doença Periodontal é causada por microrganismos que acometem os tecidos de proteção e suporte dos dentes, podendo levar à perda dentária. Dentre os fatores de risco associados, o Diabetes é o mais prevalente e há evidências mostrando que existe uma relação bidirecional entre as duas doenças, tendo o processo inflamatório como característica principal. Subtipos de monócitos possuem grande plasticidade e exercem diferentes funções relacionadas com o processo inflamatório. Micropartículas são liberadas por diferentes tipos celulares após estímulos como ativação e apoptose. As quimiocinas MCP-1 e RANTES estão associadas ao recrutamento de monócitos. Este projeto visa um maior entendimento da relação entre subtipos de monócitos, micropartículas circulantes e quimiocinas na Doença Periodontal, bem como possíveis modificações nesses biomarcadores induzidas pelo tratamento periodontal. A identificação, quantificação e caracterização fenotípica de subtipos de monócitos (clássicos, intermediários e não-clássicos) e micropartículas circulantes (plaquetárias, endoteliais e monocíticas) serão realizadas por citometria de fluxo no basal e 30 dias após o término do tratamento periodontal não cirúrgico, em pacientes com Doença Periodontal associada ou não ao Diabetes. Também será realizada a análise das quimiocinas MCP-1 e RANTES por Imunoensaio Multiplex, no fluido gengival. O maior entendimento do papel diferenciado dos subtipos de monócitos, micropartículas e quimiocinas MCP-1 e RANTES na Doença Periodontal poderá se constituir em novo alvo estratégico para melhor compreensão dos mecanismos inflamatórios associados à doença. (AU)