Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise epigenômica integrativa de Gliomas: definindo regiões regulatórias associadas ao stemness e ao fenótipo hipermetilador de tumores com mutações nos genes IDH1/2

Processo: 18/00583-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de setembro de 2019 - 31 de agosto de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Tathiane Maistro Malta Pereira
Beneficiário:Tathiane Maistro Malta Pereira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Ana Valeria Castro ; Fabíola Attié de Castro ; Houtan Noushmehr ; Sergio Akira Uyemura
Bolsa(s) vinculada(s):19/14928-1 - Análise epigenômica integrativa de gliomas - definindo regiões regulatórias associadas ao "stemness" e ao fenótipo hipermetilador de tumores com mutações nos genes IDH1/2, BP.JP
Assunto(s):Epigenômica  Glioma  Mutação  Fenótipo  Metilação de DNA 

Resumo

Os Gliomas malignos adultos são tumores cerebrais heterogêneos caracterizados por recorrência e progressão com padrões variáveis. Embora alguns progressos tenham sido observados nos últimos anos, os Gliomas ainda apresentam uma classificação de doença sub-ótima que pode afetar o manejo do paciente e dificultar o tratamento correto. Mutação nos genes IDH, o fenótipo hipermetilador G-CIMP e a co-deleção dos braços cromossômicos 1p/19q são fatores moleculares associados a subtipos de Gliomas e que melhoram sua classificação. Notavelmente, evidências crescentes sugerem que a metilação aberrante do DNA desempenha um papel importante no desenvolvimento e/ou progressão dos Gliomas. Nos glioblastomas, acredita-se que o estado de diferenciação celular afeta as propriedades das células tumorais e que a existência de células-tronco tumorais está associada a progressão tumoral e resistência terapêutica. Pretendemos realizar uma análise epigenômica abrangente e integrada para definir as regiões genômicas regulatórias associadas ao "stemness" nos Gliomas e ao fenótipo hipermetilador ocasionados pela mutação nos genes IDH1/2 em Gliomas e em outros tipos tumorais. Nossos achados podem fornecer: 1) elucidação dos mecanismos de tumorigênese e progressão tumoral; 2) mecanismos potenciais relacionados à metilação do DNA e à desregulação do metabolismo em tumores com mutação em IDH1/2; e 3) potencial aplicação dos resultados, como a identificação de biomarcadores que preveem progressão e resistência a medicamentos, novos alvos para o desenvolvimento de fármacos, o refinamento da classificação tumoral molecular existente permitindo uma melhor estratificação para tratamento personalizado. Finalmente, esta proposta estabelecerá a área inovadora da epigenômica do câncer na FCFRP, que permitirá uma importante colaboração e contribuirá para expandir as ações de pesquisa no FCFRP. (AU)