Busca avançada
Ano de início
Entree

Pontos cegos biogeoquímicos ao longo do continuum do baixo Rio Amazonas: da terra para a atmosfera e oceano

Processo: 18/18491-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa SPEC
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2023
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Jeffrey Edward Richey
Beneficiário:Jeffrey Edward Richey
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesquisadores principais:Maria Victoria Ramos Ballester
Pesq. associados: Alan Cavalcanti da Cunha ; Henrique Oliveira Sawakuchi ; Maria de Lourdes Cavalcanti Barros ; Milton Kampel ; Nicholas Ward ; Paulo Cesar Colonna Rosman ; Richard G Keil ; Vania Neu

Resumo

O objetivo deste projeto é investigar, em diferentes escalas, os processos que controlam a advecção e reação de carbono na região do baixo Rio Amazonas e ao longo da região costeira adjacente no Oceano Atlântico Tropical Ocidental. O corpo de água principal do rio representa uma grande fonte de dióxido de carbono (CO2) para a atmosfera, sendo que grande parte tem origem a partir do carbono orgânico proveniente da paisagem no entorno e é posteriormente remineralizada no rio. O componente do sistema fluvial que tem sido menos estudado e compreendido localiza-se próximo da foz do rio, sob efeito das marés, consistindo de dois canais principais desde Macapá até 150 km no interior do oceano. Ainda que a influência das marés não resulte em intrusão salina, podem ocorrer inversões no fluxo fluvial e interações complexas entre os canais do rio e as áreas marginais. Esses fatores tornam o estudo desta região do maior rio do mundo um desafio logístico significativo. Através de um ambicioso esforço amostral, este projeto visa compreender os fatores de grande escala (por exemplo, a hidrodinâmica, extensão de área e metabolismo) que controlam a variabilidade espacial e temporal da remineralização de carbono e dos fluxos de CO2 no baixo Rio Amazonas. A abordagem metodológica será baseada em uma combinação entre a coleta de dados de campo, sensoriamento remoto e esforços de modelagem numérica e biogeoquímica. Os tipos de matéria orgânica degradada, os microrganismos e consórcios que remineralizam, e as vias metabólicas (aeróbicas e anaeróbias) que levam à grande produção de CO2 serão avaliadas usando um conjunto de ferramentas de análise geoquímica orgânica e molecular biológica (proteômica). O esforço amostral permitirá gerar e disponibilizar um conjunto de dados in situ representativo de uma região historicamente pouco estudada, mas de alta relevância global. Serão realizados experimentos focados em revelar a influência dos fatores físicos (por exemplo, das marés, velocidade das correntes e processos de mistura) sobre os processos biológicos, a variabilidade espaço-temporal dos fluxos de CO2 por sensoriamento remoto, conjuntamente com simulações de modelos numéricos com capacidade para prever a sensibilidade das Trocas Líquidas do Ecossistema (do inglês Net Ecosystem Exchange). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Carbono negro encontrado no rio Amazonas revela queimadas recentes na floresta 
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (4 total):
Mais itensMenos itens
Carbono negro encontrado no Rio Amazonas revela queimadas recentes na floresta 
Carbono negro encontrado no Rio Amazonas revela queimadas recentes na floresta 
Carbono negro encontrado no Rio Amazonas revela queimadas recentes na floresta 
Carbono negro encontrado no rio Amazonas revela queimadas recentes na floresta 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.