Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo morfológico, funcional e molecular da diferenciação celular do córtex adrenal: o papel do gene SOCS3

Processo: 18/19035-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2019 - 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Claudimara Ferini Pacicco Lotfi
Beneficiário:Claudimara Ferini Pacicco Lotfi
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/14925-2 - Treinamento técnico para suporte à projeto de pesquisa, BP.TT
Assunto(s):Diferenciação celular  Endocrinologia  Camundongos knockout 

Resumo

O desenvolvimento da adrenal tem seu inicio na formação bilateralmente do primórdio adrenogonadal (AGP) marcada pela expressão do fator esteroidogênico 1 (SF-1). Células SF-1 positivas irão formar o primórdio adrenal (AP) que originará a adrenal fetal. A adrenal fetal que se expande rapidamente devido ao crescimento da zona fetal (ZFe) seguida do aparecimento da zona definitiva (ZDe), que dará origem à adrenal adulta. Em humanos, após o nascimento, a ZFe sofre apoptose e diferenciação progressiva para formar as zonas glomerulosa e fasciculada entre 2-4 anos de idade, enquanto a zona reticular somente se diferenciará na adrenarca, entre 6-9 anos de idade. Em camundongos, a ZFe somente desaparece na puberdade no macho e nas fêmeas após a primeira gestação, e durante esse período essa zona remanescente é denominada zona X (ZX). Em um trabalho recente do nosso grupo mostramos que animais SF-1/SOCS3 knockout (KO) apresentaram retenção da ZX em camundongos machos e fêmeas tornando-se um modelo para o estudo do processo de diferenciação do córtex adrenal, da importância do gene SOCS3 e consequentemente da via JAK/STAT nesse processo. Portanto, tendo como hipótese que a via JAK/STAT/SOCS3 tem um papel na diferenciação da glândula adrenal e para testar essa hipótese teremos os seguintes objetivos: 1) caracterizar morfologicamente e funcionalmente as adrenais de camundongos SF-1/SOCS3KO machos e fêmeas em diferentes idades, através de análises histoquímicas e imunohistoquímicas da glândula íntegra; 2) analisar genes marcadores das ZX e ZDe de animais em diferentes idades por microdissecção e qPCR; 3) analisar parâmetros relacionados com a diferenciação celular, como SF-1, DAX-1 e FAdE, por qPCR e immunoblotting em cultura de células primárias do córtex adrenal de animais SF-1/SOCS3KO e controle; 4) analisar a ativação da via JAK/STAT através da análise da fosforilação das STATs em cultura de células primárias do córtex de animais SF-1/SOCS3KO e controle; 5) modular a expressão de SOCS3, para sua superexpressão utilizando vetor lentiviral ou para seu silenciamento através de siRNA, nas culturas de células primárias de respectivamente, camundongos SF-1/SOCS3 KO e animais controle e 6) analisar por qPCR marcadores de diferenciação celular, como SF-1, DAX-1 e FAdE, além da expressão da proteína StAR e das enzimas esteroidogênicas CYP11B1 e CYP11B2 nas células com SOCS3 superexpresso ou silenciado. Ao final desse projeto teremos um maior entendimento da participação ainda não explorada e compreendida da via JAK/STAT/SOCS3 na diferenciação e função do córtex adrenal de camundongos, bem como da importância do papel da zona fetal humana na formação de tumores adrenais pediátricos, uma vez que a manutenção de células embrionárias da zona fetal em humanos e suas características foram encontradas em tumores adrenocorticais pediátricos. (AU)