Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento, fabricação e montagem do colimador principal de uma estação de teste eletro-ópticos para câmeras ópticas aeroespaciais de pequeno e médio porte

Processo: 18/15303-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de maio de 2019 - 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Cesar Celeste Ghizoni
Beneficiário:Cesar Celeste Ghizoni
Empresa:Opto Tecnologia Optrônica Ltda
CNAE: Serviços de engenharia
Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Município: São Carlos
Pesquisadores principais:Daniel Moutin Segoria ; Paulo Rogério Berto ; Priscila França Guidini
Assunto(s):Física óptica  Sistemas ópticos  Sistemas aeroespaciais 

Resumo

O projeto de pesquisa apresentado pela Opto Tecnologia Optrônica LTDA, "Opto", está intimamente ligado ao desenvolvimento e fabricação nacional de câmeras aeroespaciais para observação terrestre. Seu objetivo principal é de aprimorar a tecnologia para o projeto, fabricação, montagem e alinhamento de uma estação de testes para caracterização eletro-óptica multiespectral de satélites, resultando na fabricação do colimador principal e seus componentes essenciais. Este projeto se configura uma inovação incremental do atual estado da arte da empresa. O conhecimento tecnológico adquirido viabilizará a montagem de uma estação de testes genuinamente brasileiros para a completa caracterização de sistemas ópticos aeroespaciais de alta resolução. Os resultados previstos, juntamente com a disponibilidade da infraestrutura da empresa e recursos de contrapartida, proporcionará uma oportunidade ímpar de suporte em futuros projetos do programa espacial brasileiro. A experiência da Opto em sistemas de testes eletro-ópticos abrange as áreas de atuações da empresa: industrial, médica, defesa e aeroespacial. Dentre a última, a mais relevante é relacionada à instrumentação do Banco Óptico do programa nacional CBERs, totalmente projetado e construído pela Opto, que constitue o MUX-GSE (Multispectral Camera/ Ground Support Equipment). Seu objetivo foi de permitir a avaliação e teste dos componentes das câmeras refrativas MUX e WFI em nível de subsistema e integrado ao veículo espacial CBERS. O subsistema mais importante de uma bancada de testes para câmeras ópticas aeroespaciais é o colimador principal. Neste projeto, a peculiaridade do colimador principal se refere à adequação de seu comprimento focal efetivo e abertura para a maior gama possível de parâmetros funcionais das câmeras atualmente mais utilizadas e sua consequente base estrutural estável exigida para sua correta operação. A Opto, por meio de sua experiência em desenvolvimento e fabricação de produtos optrônicos e de componentes ópticos em geral para aplicação aeroespacial e defesa, é uma empresa que possui todas as ferramentas técnicas, equipamentos de suporte, infraestrutura de salas limpas, oficinas óptica e mecânica, recursos humanos e metodologia eficiente de gerenciamento de projetos para dar suporte total à execução deste projeto de pesquisa. O gerenciamento será executado de acordo com a experiência acumulada da Opto em outros programas realizados na área espacial. As fases de execução e controle do projeto estarão distribuídas da seguinte forma: Planejamento, Projeto Preliminar e Projeto Detalhado incluindo a Revisão Final. Os maiores resultados esperados do projeto de pesquisa são: *Domínio tecnológico de projeto de bancadas de testes eletro-ópticos para sistemas ópticos reflexivos multiespectrais; *Domínio de processos e procedimentos para integração e alinhamento de sistemas ópticos reflexivos fora do eixo; *Domínio tecnológico de projeto de estruturas mecânicas com estabilidade termo-elástica e integração de sistemas ópticos reflexivos; *Fabricação do colimador principal e seus componentes essenciais para a execução de testes eletro-ópticos; *Manutenção e ampliação da experiência dos membros da equipe técnica de projeto; Os ganhos tecnológicos previstos para este projeto extrapolam o simples aumento do portfólio da empresa de seus produtos aeroespaciais. O domínio da fabricação de uma estação de testes de caracterização eletro-óptica para câmeras de satélites por uma empresa brasileira, além do retorno imediato na qualificação de pessoal especializado, garante ao país novas oportunidades dentro do programa espacial brasileiro. Apesar de que o presente projeto não atingirá o ponto de equilíbrio financeiro adequado, a Opto entende que estará bem posicionada no futuro para competir pelos projetos de câmeras de satélites para observação terrestre no Brasil. A Opto aposta na continuidade do programa espacial brasileiro voltado para satélites. (AU)