Busca avançada
Ano de início
Entree

As conexinas, panexinas e seus hemi(canais) são novos biomarcadores e alvos terapêuticos no prognóstico e terapia do câncer hepático?

Processo: 18/10953-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2019 - 31 de julho de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Convênio/Acordo: Research Foundation - Flanders (FWO)
Pesquisador responsável:Bruno Cogliati
Beneficiário:Bruno Cogliati
Pesq. responsável no exterior: Mathieu Frederick Alexander Vinken
Instituição no exterior: Vrije Universiteit Brussel (VUB), Bélgica
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Luís Fernando Barbisan ; Thiago Pinheiro Arrais Aloia ; Wellington Andraus

Resumo

As proteínas conexina e panexina são, respectivamente, as pedras fundamentais dos hemicanais e canais, que são poros transmembranares que intermediam a comunicação celular parácrina, em particular em condições patológicas. No últimos anos, a pesquisa conjunta belga-brasileira demonstrou expressão alterada das conexina43 e panexina1 em doenças hepáticas agudas e crônicas, bem como na redução de suas manifestações clínicas após a inibição farmacológica de seus (hemi)canais. Esses achados sugerem que as conexinas, panexinas e seus respectivos (hemi)canais podem ser utilizados como biomarcadores e alvos terapêuticos na hepatologia clínica. O presente projeto belga-brasileiro investigará se esses achados podem ser extrapolados para o câncer de fígado, que frequentemente é o estágio final das doenças hepáticas crônicas. Modelos animais e cultivos celulares de câncer hepático serão estudados para a expressão de conexina43 e panexina1. Isto será complementado pela avaliação em amostras humanas de câncer hepático e correlacionados à progressão da doença. Posteriormente, os (hemi)canais de conexina43 e panexina1 serão farmacologicamente inibidos nos modelos animais e cultivos celulares de câncer hepático, seguida pela investigação de suas características clínicas. Dessa maneira, este projeto, combinando pesquisa fundamental e translacional, é considerado de relevância clínica, pois pode introduzir uma nova estratégia para o prognóstico e tratamento do câncer de fígado. (AU)