Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da poluição atmosférica na ocorrência de crises epilépticas em modelo experimental de epilepsia do lobo temporal

Resumo

A poluição do ar é considerada pela Organização Mundial da Saúde como um problema de saúde pública. Estudos epidemiológicos têm destacado inúmeras doenças associadas com exposição à poluição atmosférica, principalmente doenças respiratórias e cardiovasculares. Nos últimos 15 anos, a poluição do ar tem sido vista como um fator de risco para doenças neurológicas e psiquiátricas, com destaque para a doença de Alzheimer, Parkinson, depressão, autismo e mais recentemente, epilepsia. Estudos mostram aumento na hospitalização de pacientes com epilepsia que vivem em ambiente poluído no México, China e Chile. O material particulado fino e ultrafino (MP<2,5 um) em suspensão na poluição atmosférica é um dos principais responsáveis pela inflamação do SNC. Inflamação e declínio na neurogênese hipocampal são alguns dos fatores responsáveis pela manutenção de crises na ELT. Ainda não se sabe quais os mecanismos envolvidos com a intensificação de crises pela exposição à poluição. O presente projeto tem como objetivo reproduzir o aumento de crises epilépticas em ratos submetidos ao modelo da pilocarpina (Pilo) após serem expostos à poluição ambiental, e estudar os mecanismos moleculares envolvidos com o agravamento das crises. Processos como a inflamação e a neurogênese terão destaque por serem fatores envolvidos com geração de crises e comorbidades psiquiátricas na ELT. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)