Busca avançada
Ano de início
Entree

Prognóstico funcional de idosos acometidos pelo COVID-19

Processo: 18/19618-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2019 - 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:José Eduardo Pompeu
Beneficiário:José Eduardo Pompeu
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Caroline Gil Pigini ; Keith David Hill ; Naomi Kondo Nakagawa
Assunto(s):Geriatria  Hospitalização  COVID-19  Coronavirus da síndrome respiratória aguda grave 2  Infecções por Coronavirus  Equilíbrio postural  Acelerometria  Comorbidade  Idosos  Alta hospitalar  Prognóstico  Pandemias 

Resumo

Objetivo: Avaliar o prognóstico funcional de idosos acometidos pelo COVID-19 após internação em um hospital de alta complexidade. Métodos: Trata-se de um estudo de coorte prospectivo que acompanhará a evolução funcional de idosos acima de 60 anos após a cura da infecção pelo COVID-19, aptos para compreender e responder a comandos, e capazes de deambular sem auxílio por ao menos 10 metros. Os idosos serão avaliados em 3 momentos: avaliação inicial (30 dias após a cura da doença), após 6 e 12 meses da alta hospitalar. Serão excluídos do estudo os idosos que se recusarem a participar, não tenham disponibilidade para comparecer aos locais de coleta de dados, e apresentarem limitações motoras e cognitivas para realizar os testes do estudo. Os desfechos a serem analisados serão: (1) mobilidade; (2) independência nas atividades de vida diária; (3) medo de cair e número de quedas; (4) controle postural; (5) força muscular global; (6) cognição; (7) humor; (8) nível de atividade física; (9) número de medicamentos em uso; (10) número de internações hospitalares; (11) número de comorbidades; (12) descompensações clínicas e (13) óbito. As medidas do estudo serão: (1) Life Space Assessment e Timed Up and Go instrumentalizado; (2) Índice de Barthel; (3) FES-I e questionário de quedas; (4) Mini BESTest e avaliação da postura estática na plataforma de força (5) dinamômetro manual; (6) Avaliação Cognitiva Montreal (MoCa); (7) Escala de Depressão Geriátrica-15 (GDS), (8) International Physical Activity Questionnaire - Short Form e acelerometria; além de dados como medicação em uso, internações, comorbidades e descompensações clínicas. Os resultados serão apresentados utilizando-se estatísticas descritivas como média, desvio padrão, intervalo de confiança e intervalo interquartis. Os participantes serão divididos em grupos com seguintes critérios: faixa etária; sexo; número de comorbidades e número de medicamentos. Os prognósticos dos grupos serão comparados por meio da ANOVA one way. Será realizada análise de regressão múltipla para o estudo dos fatores de risco para quedas. (AU)