Busca avançada
Ano de início
Entree

Exposição de diápiros no fundo oceânico como um indicador de correntes: um estudo de caso na Bacia de Santos, Brasil

Processo: 19/06250-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2019 - 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Geológica
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Michel Michaelovitch de Mahiques
Beneficiário:Michel Michaelovitch de Mahiques
Pesq. responsável no exterior: Uri Schattner
Instituição no exterior: University of Haifa, Israel
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Instituição parceira: University of Haifa
Vinculado ao auxílio:19/00256-1 - Geocronologia e sedimentação terrígena nos depocentros lamosos da plataforma continental do Sul do Brasil, AP.R
Assunto(s):Sedimentologia marinha  Margens continentais  Fundo oceânico  Correntes oceânicas  Paleocorrentes  Estratigrafia  Bacia de Santos  Cooperação internacional 

Resumo

Correntes de fundo oceânico desempenham um papel central no sistema marinho. Eles transportam massas de água pelo mundo enquanto distribuem sedimentos, isótopos e nutrientes, bem como remodelam o fundo do oceano ao longo de seu caminho. Enquanto o mapeamento das atuais correntes de fundo oceânico se baseia em medições diretas, a reconstrução de correntes paleo é baseada em indicadores estratigráficos específicos, como marcas de cruzamentos e ripple. Em escala regional, os indicadores de paleo-corrente auxiliam na reconstrução das condições do fundo oceânico que se alteram em tempos geológicos. Em teoria, essas condições são ditadas pelas configurações locais e pelos padrões regionais de circulação. Ambos são difíceis de reconstruir devido à má cobertura dos dados tridimensionais em todo o subsolo dos oceanos do mundo. Em nosso recente trabalho conjunto (Schattner et al., 2018) definimos a interação entre os dipires de sal exposto no fundo do mar e a resposta morfo-estratigráfica devido ao fluxo de correntes de fundo. Esta definição apresenta um novo indicador de paleo-corrente que permite identificar tanto o tempo de exposição quanto a ação das correntes de fundo e, portanto, as condições paleo e seu tempo. Na pesquisa aqui proposta, desejamos utilizar o conceito de exposição diapiral para mapear as paleo-correntes em toda a bacia de Santos rica em diapir, no sudeste do Brasil. Nós retransmitimos a pesquisa em uma extensa interpretação de dados de reflexão sísmica multicanal inicialmente adquiridos para fins industriais. A pesquisa planejada requer principalmente trabalho de laboratório para análise de dados, o que é feito em conjunto e, portanto, os custos de viagem são cruciais para o sucesso do projeto. Este projeto continuará uma colaboração frutífera entre de Mahiques e Schattner, que desde 2014 rendeu cinco artigos de revisão publicados, dois adicionais aceitos para publicação recentemente, e três manuscritos em preparação, participação em reuniões internacionais, dois cruzeiros conjuntos no sudoeste do Atlântico e várias visitas mútuas. Espera-se que, uma vez publicado este estudo, tenha uma contribuição essencial para o campo da geofísica de exploração, uma vez que proporciona uma perspectiva única sobre a formação e disponibilidade de rochas-fonte de reservatórios. (AU)