Busca avançada
Ano de início
Entree

Ocorrência, particionamento, toxicidade e degradação a bitucas de cigarro em zonas costeiras

Processo: 19/13750-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2019 - 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Química
Pesquisador responsável:Ítalo Braga de Castro
Beneficiário:Ítalo Braga de Castro
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Poluição  Ecotoxicologia  Biodegradação  Contaminação  Resíduos sólidos 

Resumo

Ecossistemas costeiros têm atuado como reservatórios de uma extensa variedade de contaminantes e resíduos, gerando desafios para o desenvolvimento sustentável e gerenciamento ambiental. Nesse contexto, a poluição causada pelo lixo marinho vem despertando preocupação de gestores e cientistas. Esses resíduos, são definidos como qualquer tipo de material sólido manufaturado descartado em ambientes marinhos, resultantes de atividades humanas. Estudos recentes têm mostrado que bitucas de cigarro estão entre os itens mais frequentemente encontrados em campanhas de limpeza de áreas costeiras realizadas ao redor do mundo. Em Santos (SP), o cenário não é diferente, visto que, estudos preliminares conduzidos para elaboração da presente proposta, mostraram que 51% do microlixo encontrado nas praias é constituído por bitucas. Embora os riscos à saúde humana associados ao tabagismo sejam bem conhecidos, pouco se sabe sobre os efeitos dos mais de 7000 compostos que podem ser lixiviados a partir das bitucas para ecossistemas aquáticos. Nesse sentido, estudos têm revelado que as substâncias químicas presentes nas bitucas de cigarros podem ser ambientalmente tóxicas. No entanto, nenhum estudo avaliou a dinâmica de particionamento desses resíduos em áreas costeiras. Portanto, os tempos de permanência desses resíduos em diferentes compartimentos ambientais (coluna d'água e sedimentos) são ainda desconhecidos. Mais além, informações sobre a toxicidade ao longo do tempo, degradação e microbiota associada a bitucas em meio natural não foram até o momento investigadas. Sendo assim o presente estudo visa avaliar, através de uma iniciativa de ciência cidadã, a ocorrência ambiental desses resíduos em praias das cidades de Santos e São Vicente. Além disso, a presente proposta irá investigar particionamento preferencial e a toxicidade desses resíduos em coluna d'água e sedimentos a fim de permitir a concepção de experimentos que simulem adequadamente a exposição de organismos teste. Mais além, a influência dos processos de degradação e envelhecimento sobre o equilíbrio sortivo de contaminantes e sua toxicidade associada, será avaliada através de experimentos de laboratório e de campo. Nesse contexto, eventuais alterações na diversidade microbiana e sua relação com alterações químicas de bitucas serão investigadas. Pela execução dessa proposta, espera-se ampliar o entendimento dos impactos ligados a presença desse importante resíduo em zonas costeiras. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.