Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos interdisciplinares em cactos epífitos da Mata Atlântica: Morfologia Floral e Perfil Químico

Resumo

O Brasil é um dos países que tem a maior biodiversidade no mundo, representando cerca de 20-22% de todas as espécies de plantas conhecidas. Apesar da biodiversidade brasileira abundante, seu conhecimento ainda é muito limitado. Nesse contexto, é fundamental a interação entre os grupos de pesquisas para avançar em direção a novos conhecimentos, proceder ao uso sustentável da biodiversidade e, também, de fornecer uma base para o desenvolvimento de novos produtos. A Mata Atlântica representa uma das mais importantes áreas para a conservação da biodiversidade no mundo. Cactaceae têm cerca de 1.430 espécies e 120 gêneros, e está dividida em cinco subfamílias Pereskioideae, Maihuenioideae, Leuenbergioideae, Opuntioideae e Cactoideae. Apesar da grande maioria das cactáceas ser adaptada a ambientes xerófitos terrestres, mais ou menos 10% de sua diversidade (cerca de 150 espécies) incluem linhagens epífitas e semi-epífitas que habitam o dossel das árvores em florestas neotropicais que pertencem, em sua grande maioria, às tribos Hylocereeae e Rhipsalideae. A complexidade e ampla diversidade de formas e hábitos presente em Cactaceae têm complicado o estabelecimento de um consenso em sua classificação. Na qual existem, ainda, lacunas no conhecimento, tanto sobre o perfil estrutural da flor, como do perfil químico desse grupo de plantas. Assim. O objetivo dessa proposta é investigar morfo-anatomicamente os órgãos florais e realizar estudos químicos em espécies de cactos epífitos da Mata Atlântica para tentar elucidar as seguintes perguntas: 1) As estruturas morfo-anatômicas do perianto, androceu e/ou gineceu são características particulares em nível genérico para as cactáceas epífitas? 2) A funcionalidade dos verticilos florais, em relação à biologia reprodutiva das espécies, apresenta padrões de importância taxonômica para os grupos estudados? 3)O perfil químico das espécies estudas refletem sua identidade taxonômica ou podem estar mais associados à padrões ambientais? Em adição, também pretendemos contribuir para o desenvolvimento de metodologias para análise quali- e quantitativa dos extratos vegetais; e para formação de recursos humanos, alunos de graduação e pós-graduação, através de projetos que envolvam o conhecimento do perfil estrutural da flora, bem como do perfil químico desse grupo de plantas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RECH, ANDRE RODRIGO; ACHKAR, MARINA TEIXEIRA; JORGE, LEONARDO RE; ARMBRUSTER, W. SCOTT; ALMEIDA, ODAIR J. G. The functional roles of 3D heterostyly and floral visitors in the reproductive biology of Turnera subulata (Turneroideae: Passifloraceae). FLORA, v. 264, MAR 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.