Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação da abordagem biotic soil legacy com foco nas interações positivas-negativas da biota na restauração florestal por feedbacks das comunidades de solo e planta - BioFor

Processo: 18/19000-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2019 - 30 de abril de 2023
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Convênio/Acordo: Organização Holandesa para a Pesquisa Científica (NWO)
Pesquisador responsável:Tsai Siu Mui
Beneficiário:Tsai Siu Mui
Pesq. responsável no exterior: Wilhelmus van der Putten
Instituição no exterior: Royal Netherlands Academy of Arts and Sciences, Holanda
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesq. associados:Quirijn de Jong van Lier

Resumo

As plantas e os solos estão em constante interação, e os efeitos observados para todos os processos físicos, químicos e biológicos que contribuem para essas interações resultam em um chamado "planta-solo feedback" que é conhecido por ser crítico para a restauração das comunidades originais de plantas e das propriedades do ecossistema. O uso anterior da terra em locais onde a Mata Atlântica deve ser restaurada alterou a contingência histórica das propriedades do solo, o que influenciará na restauração florestal por efeitos dessa herança. A existência de realimentação planta-solo tem sido demonstrada em florestas que variam de sistemas tropicais a temperados, no entanto, pouco, ou nada é conhecido sobre o feedback planta-solo na Mata Atlântica. Nosso objetivo é investigar como as reações entre plantas e solo operam na Mata Atlântica primária e secundária (em regeneração), e como as reações em áreas atualmente desmatadas podem influenciar as oportunidades de restauração bem-sucedida da diversidade original de espécies arbóreas e do funcionamento do ecossistema florestal. Primeiro, deveremos coletar um conjunto de dados observacionais em grande escala sobre a riqueza de espécies do solo e a abundância de microorganismos (bactérias, fungos, protistas) e pequenos invertebrados (nematóides), para caracterizar as redes de solo. Esses dados serão vinculados a informações sobre composição vegetal / árvores e propriedades abióticas do solo em florestas naturais (originais) e restauradas, bem como áreas desmatadas a serem utilizadas para restauração florestal. Em seguida, examinaremos empiricamente os feedbacks de solo-planta desses solos, a fim de determinar sua adequação para a regeneração florestal. Para este propósito, os gráficos de campo que podem gerar informações espacialmente explícitas sobre um intervalo de variáveis ao longo do tempo serão estabelecidos ao longo de 100 transectos ao longo das diferentes paisagens. Combinando modelos de ecossistemas e dados de rede de parcelas de campo, iremos avaliar quais condições de solo fornecem as melhores possibilidades para a restauração florestal. Ao gerar informações espaciais e temporais sobre uma série de variáveis ao longo do tempo e escala, incluindo interações positivas e negativas das comunidades acima e abaixo do solo, determinaremos se esses efeitos são mais pronunciados em solos sob vegetação original ou restaurada do que em solos degradados, ou se são sistemas restaurados sem sucesso. Dados sobre áreas perturbadas com oportunidades menos ou mais adequadas para possibilitar interações planta-solo para espécies de plantas florestais / espécies de árvores nos permitirão obter informações para um plano adequado para melhorar e acelerar os programas de restauração da Mata Atlântica. (AU)