Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de microcápsulas de própolis vermelha brasileira para uso como conservante natural e desenvolvimento de alimentos funcionais: caracterização, bioacessibilidade e transporte epitelial através de células Caco-2

Processo: 19/11248-0
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2019 - 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Severino Matias de Alencar
Beneficiário:Severino Matias de Alencar
Instituição Sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Adna Prado Massarioli ; Carmen Sílvia Fávaro Trindade ; Pedro Luiz Rosalen
Assunto(s):Compostos fenólicos  Antioxidantes  Bioacessibilidade  Própolis 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:atividade antioxidante | bioacessibilidade | Compostos fenólicos | propolis | Atividade biológica de produtos naturais

Resumo

O Brasil é um grande produtor e exportador mundial de própolis de Apis mellifera. Entretanto, a aceitabilidade dos consumidores é baixa para alimentos onde a própolis é um ingrediente, devido principalmente ao seu amargor e adstringência, o que gera sabores fortes e desagradáveis que alteram as características sensoriais dos alimentos. Um novo tipo de própolis brasileira, denominada de própolis vermelha, foi caracterizada quimicamente e biologicamente por nosso grupo de pesquisa. Nela, foi encontrada uma composição fenólica peculiar, composta principalmente isoflavonoides, além de atividades antioxidante, antimicrobiana e anti-inflamatória. De acordo com as evidências de que o consumo desses fitoestrogênios produzem efeitos benéficos, como os efeitos positivos nos desconfortos da menopausa, por exemplo, cápsulas contendo microcápsulas de isoflavonoides de própolis vermelha se torna um mercado potencial e promissor. Além disso, nunca foi dada atenção a questão da bioacessibilidade e transporte epitelial por meio de células humanas, no sentido de se esclarecer se os isoflavonoides presentes nesta própolis são modificados durante estas etapas, bem como se as propriedades biológicas verificadas nos extratos etanólicos são conservadas. Assim, a microencapsulação da própolis vermelha, contendo isoflavonoides bioacessíveis e transportados através do sistema epitelial, se torna uma forma de agregar valor e desenvolver de novos ingredientes e produtos funcionais, haja vista que atualmente o Brasil exporta este tipo de própolis exclusivamente como matéria-prima. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VIEIRA DE MORAIS, DANIEL; ROSALEN, PEDRO LUIZ; IKEGAKI, MASAHARU; DE SOUZA SILVA, ANNA PAULA; MASSARIOLI, ADNA PRADO; DE ALENCAR, SEVERINO MATIAS. Active Antioxidant Phenolics from Brazilian Red Propolis: An Optimization Study for Their Recovery and Identification by LC-ESI-QTOF-MS/MS. ANTIOXIDANTS, v. 10, n. 2, . (19/11248-0)
DE OLIVEIRA SARTORI, ALAN GIOVANINI; SPADA, FERNANDA PAPA; RIBEIRO, VICTOR PENA; ROSALEN, PEDRO LUIZ; IKEGAKI, MASAHARU; BASTOS, JAIRO KENUPP; DE ALENCAR, SEVERINO MATIAS. An insight into the botanical origins of propolis from permanent preservation and reforestation areas of southern Brazil. SCIENTIFIC REPORTS, v. 11, n. 1, . (17/04138-8, 19/11248-0)
SANTOS, LAUANA APARECIDA; ROSALEN, PEDRO LUIZ; DIAS, NAYARA ANDRADE; GRISOLIA, JULIANNE CARAVITA; NASCIMENTO GOMES, BRUNO JOSE; BLOSFELD-LOPES, LUCAS; IKEGAKI, MASAHARU; DE ALENCAR, SEVERINO MATIAS; BURGER, EVA. Brazilian Red Propolis shows antifungal and immunomodulatory activities against Paracoccidioides brasiliensis. Journal of Ethnopharmacology, v. 277, . (19/11248-0)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.