Busca avançada
Ano de início
Entree

Proteostase mediada pela chaperona molecular HSP70 em células endoteliais em resposta à força hemodinâmica

Processo: 18/13739-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de setembro de 2019 - 31 de agosto de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Celular
Pesquisador responsável:Thaís Larissa Araujo de Oliveira Silva
Beneficiário:Thaís Larissa Araujo de Oliveira Silva
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Francisco Rafael Martins Laurindo ; Gabriela Chiosis ; Julio Cesar Borges ; William Salibe Filho
Bolsa(s) vinculada(s):19/20435-8 - Proteostase mediada pela chaperona molecular HSP70 em células endoteliais em resposta à força hemodinâmica, BP.JP

Resumo

A chaperona molecular HSP70 é o membro mais abundante do chaperoma. No contexto vascular, as únicas proteínas clientes da HSP70 conhecidas em células endoteliais (ECs) são nucleolina e CLEC14a, proteínas envolvidas na angiogênese associada ao tumor. Experimentos de perda de função em ECs em condições estáticas promoveram efeitos gerais como inibição da migração, formação de tubo e fosforilação da eNOS e AKT em resposta a VEGF. No vaso, a principal força hemodinâmica que controla o fenótipo endotelial é a força de cisalhamento ou shear stress. Neste contexto, a quantificação da fração e identidade das proteínas que necessitam da HSP70 para alcançar o estado nativo permitirá aprofundar o entendimento das bases moleculares da fisiologia vascular. Neste projeto os objetivos são: (1) identificar clientes da HSP70 em ECs submetidas a fluxo laminar e turbulento através da adaptação original da técnica de BONCAT (marcação com aminoácido não canônico biortogonal) seguida de imunoprecipitação da HSP70 e espectometria de massa, (2) avaliar a formação de complexos de alto peso molecular com gel Nativo e o seu isolamento através de pull down com YK5-biotin, (3) como modelo de doença e de perda de função da HSP70, utilizaremos as ECs primárias isoladas da artéria pulmonar de pacientes com tromboembolismo pulmonar hipertensivo (TEPH). Descobrimos por imuno-histoquímica que há redução significativa na marcação da HSP70 no tecido adjacente ao trombo e que as ECs isoladas de pacientes com TPEH quando submetidas a shear stress de alta magnitude (patológico na artéria pulmonar) apresentam baixo nível de expressão da HSP70 confirmando estas células como excelente modelo. Esse resultado levanta a hipótese de que um estresso crônico como shear stress regula o proteoma resultando em disfunção endotelial. A análise longitudinal temporal e comparativa de shear stress fisiológico e patológico fornecerá visão mecanística do enovelamento proteico mediada pela HSP70, com potencial identificação de alvos moleculares. Estas descobertas devem contribuir para avanços conceituais e implicações fisiopatológicas da HSC/P70 na resposta da célula endotelial à força hemodinâmica. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.