Busca avançada
Ano de início
Entree

"aproveitamento de resíduos agroindustriais para a produção de bandejas biodegradáveis e bioativas"

Processo: 19/06329-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2019 - 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Delia Rita Tapia Blácido
Beneficiário:Delia Rita Tapia Blácido
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Curcuma  Resíduos agroindustriais  Urucum  Bagaço de cana-de-açúcar 

Resumo

Este projeto visa o aproveitamento de dois resíduos agroindustriais da extração de corantes, o primeiro gerado na extração de corante de cúrcuma, e o segundo, gerado na extração de corante de urucum, e também das cinzas do bagaço de cana de açúcar que são obtidas da queima do bagaço, que serão utilizados para a obtenção de bandejas biodegradáveis com propriedades bioativas. Assim, serão preparadas bandejas a partir dos resíduos de cúrcuma e urucum, das farinhas destes resíduos e das blendas resíduo/amido de mandioca variando as proporções dos polímeros (10/90, 30/70, 50/50, 70/30 e 90/10). Por outro lado, as cinzas de bagaço de cana de açúcar serão adicionadas às bandejas de amido de mandioca em diferentes concentrações, como material de reforço. Os resíduos de cúrcuma e urucum, as farinhas dos resíduos e o amido de mandioca serão previamente caracterizados em base a sua composição centesimal, conteúdo de compostos fenólicos, carotenoides, cor e opacidade e atividade antioxidante. As análises de microestrutura por microscópio eletrônico de varredura (MEV), temogravimetria (TGA) e difração de raios X serão realizadas nos resíduos de cúrcuma, urucum, farinhas, amido de mandioca e cinzas de bagaço de cana de açúcar. As bandejas serão produzidas por termoformagem a partir de uma mistura dos polímeros com água, glicerol e estearato de magnésio utilizando uma termoprensa hidráulica a 140 °C durante 18 min e 60 bar. Todas as bandejas serão caracterizadas em base a suas propriedades mecânicas, densidade, ângulo de contato, permeabilidade ao vapor de água, absorção de água, cor e opacidade, teor de compostos fenólicos totais, teor de carotenoides, atividade antioxidante, atividade antimicrobiana e testes de biodegradação em solo. Também serão caracterizadas em base a sua cristalinidade determinada por difração de raios X, microestrutura por MEV e propriedades térmicas por TGA e calorimetria diferencial de varredura (DSC). (AU)