Busca avançada
Ano de início
Entree

Potencial do uso da cavitação ultrassônica para extrair ácido hialurônico de alta pureza de cascas de ovo e rendimento do processo

Processo: 18/24410-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de outubro de 2019 - 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Morgana Regina Mendonça de Oliveira
Beneficiário:Morgana Regina Mendonça de Oliveira
Empresa:Biosmart Nanotechnology Ltda. - ME
CNAE: Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Município: Araraquara
Pesq. associados:Hermes Pretel
Vinculado ao auxílio:17/08621-5 - Potencial do uso da cavitação ultrassônica para extrair ácido hialurônico de alta pureza de cascas de ovo e rendimento do processo, AP.PIPE

Resumo

Por apresentar excelentes características físico, químicas e biológicas, o ácido hialurônico (AH) tem sido indicado como material ideal para diferentes tipos de tratamento nas áreas médico, farmacêutico, odontológico, veterinário, alem de ser matéria prima principal dos produtos antiaging e na industria alimentícia. Comercialmente, o AH é produzida da crista de galo ou por fermentação bacteriana. O AH extraído de casca de ovo parece ser mais puro e seguro para consumo humano pois apresenta composição química semelhante ao cordão umbilical humano e pureza de grau médico. Esse processo de extração é composto pelas etapas de descalcificação, separação, purificação e filtração e pode ser genericamente descrito como extração assistida por descalcificação (EAD). Como esta forma de extração já está patenteada e buscando uma oportunidade inovadora este projeto propõe a obtenção de AH da casca do ovo por extração assistida por ultrassom (EAU), uma vez que esta tecnologia tem sido utilizada para extrair fragrâncias, pigmentos, antioxidantes e compostos orgânicos de tecido animal, levedura, alimentos, plancton e vegetais, mas nunca foi utilizada para extrair AH de casca de ovo. Além do ineditismo, teoricamente a EAU tem potencial de produzir AH sem o uso de solvente químico, e em tempo 24 vezes mais rápido do que a técnica convencional de EAD. Para comprovar o potencial inovador e patenteável será verificado: 1) se a extração assistida por ultrassom (EAU) pode ser utilizada para obter ácido hialurônico de casca de ovo, 2) quais parâmetros de uso da EAU são mais produtivos, 3) se o método de extração assistido por ultrassom simplificado (EAUS) é eficaz e biologicamente seguro e, 4) se as sobras da EAU e EAUS podem ser utilizadas para produzir hidroxiapatita. Serão constituídos 10 grupos experimentais, sendo 2 controles com EAD (1440 min) e fases de separação, purificação e filtração completa e simplificada e 8 grupos teste nos quais a extração será feita por EAU utilizando as potência acumuladas 20, 40, 60 e 80 MJ que correspondem aos seguintes tempos de extração 24, 53, 80 e 102 min. complementado por fases de separação, purificação e filtração completa e simples. A quantidade (rendimento da extração) e qualidade do AH obtido pelos diferentes processos será avaliado por pesagem e as seguintes técnicas analiticas: identificação, qualidade e concentração do AH extraído (Cromatografia UV-Vis em função da reação com Carbazol); avaliação de pH; padrão de ligações químicas por FTIR/ATR; massa molecular, tamanho e estrutura por HPLC/GPC e viscosidade por viscosimetro de Ubbelohde Os dados obtidos serão analisados de forma inferencial e comparativa, para p<0,05. Espera-se comprovar a eficiência da cavitação ultrassônica para extrair AH de cascas de ovo, e definir parâmetros otimizados de produção visando obter AH de alto valor agregado e alta lucratividade obtido do descarte de ovos da industria alimentícia e granjas de criação (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.