Busca avançada
Ano de início
Entree

Carreadores lipídicos nanoestruturados contendo buparvaquona aplicados ao tratamento da leishmaniose canina: desenvolvimento, avaliação físico-química e atividade leishmanicida in vivo

Processo: 18/16028-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de outubro de 2019 - 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Lis Marie Monteiro
Beneficiário:Lis Marie Monteiro
Empresa:Vetadvisory Veterinários & Associados Ltda
CNAE: Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Atividades veterinárias
Atividades de serviços de complementação diagnóstica e terapêutica
Município: Atibaia
Pesquisadores principais:Nádia Araci Bou-Chacra
Pesq. associados:Gabriel Lima Barros de Araujo ; Paulo Cesar Cotrim
Bolsa(s) vinculada(s):19/21526-7 - Carreadores lipídicos nanoestruturados contendo buparvaquona aplicados ao tratamento da Leishmaniose Canina: desenvolvimento, avaliação físico-química e atividade leishmanicida in vivo, BP.PIPE
Assunto(s):Nanotecnologia  Tecnologia farmacêutica  Carreadores lipídicos nanoestruturados  Sistemas de liberação de medicamentos  Leishmaniose  Leishmania  Buparvaquona 

Resumo

Além dos humanos, as leismanioses podem afetar cães e gatos, sendo esses, os principais reservatórios em ambientes urbanos. A leishmaniose canina, causada por Leishmania infantum, está entre as mais importantes doenças transmitidas por vetores, por sua relação direta com os casos em humanos, segundo estudos epidemiológicos. Em contraste com a tendência mundial, no Brasil, o número de pessoas e animais infectados por esses parasitos tem aumentado. Esse quadro não apresenta perspectiva de reversão a curto prazo em função da reduzida disponibilidade de opções terapêuticas, tanto para humanos quanto para animais. Devido ao reduzido número de medicamentos disponíveis, o tratamento de animais foi por muitos anos proibido no país, e a eutanásia ainda é o procedimento recomendado nos casos diagnosticados. Atualmente, apenas um medicamento no Brasil, fabricado pela empresa Virbac, está disponível para o tratamento de animais. Devido ao seu alto custo (R$6.000,00/animal/ano), o tratamento torna-se restrito a uma pequena parcela da população de alta renda. Dessa maneira, o impacto na Saúde Pública não é significante. A buparvaquona (BPQ), fármaco utilizado para tratamento veterinário de teileriose, mostrou atividade promissora contra parasitas da Leishmania in vitro. No entanto, devido à sua baixa solubilidade em água e consequente baixa biodisponibilidade, esse fármaco falhou nos testes in vivo em cães, por via intramuscular. Em estudos prévios, nosso grupo de pesquisa mostrou o aumento da solubilidade em meio aquoso e da atividade leishmanicida in vitro desse fármaco encapsulado em carreador lipídico nanoestruturado (CLN). Tal inovação possibilitou o pedido de patente n° BR102017021294-7. Porém, para que essa inovação alcance o mercado, diferentes desafios técnico-científicos devem ser superados. Tais desafios referem ao desenvolvimento de produto final com as características físico-químicas e biológicas adequadas ao uso pretendido. Sendo assim, os objetivos do presente trabalho são o desenvolvimento, a otimização das características físico-químicas dos CLN contendo BPQ, a avaliação da sua estabilidade físico-química e biológica e o desenvolvimento de processo de secagem do produto. Adicionalmente, serão avaliadas, em hamster, as vias de administração mais adequadas para garantir a atividade leishmanicida das formulações desenvolvidas. Serão também investigadas a toxicidade in vivo do fármaco e das formulações, o perfil de citocinas, a internalização e a localização celular das nanopartículas. Nossa proposta permitirá o desenvolvimento de medicamento eficaz, seguro e com relação custo/benefício superior ao concorrente do mercado. (AU)