Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo prospectivo e randomizado de único centro, comparando eficácia e segurança da adição de everolimo ao esquema tacrolimo/micofenolato mofetil/prednisona em pacientes transplantados renais HLA-sensibilizados

Processo: 17/19339-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de agosto de 2019 - 31 de julho de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Elias David-Neto
Beneficiário:Elias David-Neto
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Carlucci Gualberto Ventura ; Clarisse Martins Machado ; Nelson Zocoler Galante ; Patrícia Soares de Souza ; Sueli Mieko Oba Shinjo ; Suely Kazue Nagahashi Marie ; Verônica Porto Carreiro de Vasconcellos Coelho
Assunto(s):Nefrologia  Tacrolimo  Imunossupressão  Transplante de rim  Everolimo 

Resumo

Pacientes sensibilizados aos antígenos HLA (PRA de Classe I ou II e 10%) representam 20-25% dos receptores de transplante renal e, geralmente, estão sob mais intenso regime imunossupressor para prevenção de rejeição, portanto, mais suscetíveis a infecções como doença por CMV. Atualmente, não existe um regime imunossupressor que atenda às demandas destes pacientes. Para tanto, levantamos a hipótese de que a adição de everolimo, um inibidor da mTOR (com diferente sítio de ação imunossupressupressora e um papel na prevenção do CMV), ao esquema tríplice clássico de tacrolimo/ácido micofenólico/esteróides, reduzirá a incidência de rejeição aguda e diminuirá a doença por CMV. Também se espera menor incidência de eventos adversos graves devido ao menor nível de drogas. Para planejar este estudo, realizamos anteriormente um estudo piloto de prova de conceito com 24 pacientes e observamos redução na taxa de rejeição aguda (50 vs 10%, p = 0,001) e níveis mais baixos de viremia de CMV no grupo quádruplo em comparação ao grupo de terapia tripla. Temos como objetivo desenvolver um estudo clínico com um tamanho de amostra adequado para o objetivo primário e, ao mesmo tempo, analisar alguns dos mecanismos (dinâmica de anticorpos anti-HLA, imunidade celular específica contra CMV, diferenças em subpopulações de linfócitos periféricos, expressões de genes em biópsias renais e correlações de farmacocinética destas drogas com todos os eventos) envolvidos na eficácia observada no estudo piloto. (AU)