Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de ingredientes naturais prebióticos derivados de subprodutos de cadeias agrícolas brasileiras

Processo: 18/22365-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de outubro de 2019 - 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Ricardo Luis Araujo Dias
Beneficiário:Ricardo Luis Araujo Dias
Empresa:Verum Brasil Comércio Alimentício Ltda
CNAE: Comércio atacadista de produtos alimentícios em geral
Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Município: Botucatu
Pesq. associados:Luiz Claudio Di Stasi
Assunto(s):Microbiota  Alimentos funcionais  Antioxidantes  Prebióticos  Subprodutos agrícolas 

Resumo

Alimentos funcionais desenvolvidos a partir de espécies vegetais, especialmente de frutos, podem ser considerados uma das mais inovadoras estratégias para a manutenção da saúde, visto que possuem benefícios adicionais na fisiologia do organismo, além do seu valor nutricional intrínseco. O uso de alimentos funcionais tem sido orientado especialmente no controle de doenças crônicas, visto que há a necessidade de uso prolongado para obtenção de seus efeitos. O mercado de ingredientes para modulação da microbiota intestinal (probióticos e prebióticos) representa uma das categorias de crescimento mais acelerado no mercado de ingredientes funcionais. Os ingredientes probióticos movimentaram cerca de US$40 bilhões no ano passado em todo o mundo, enquanto projeta-se que os prebióticos atingirão US$16 bilhões em 2019. A partir da avaliação de cadeias agrícolas de grande volume no Brasil, da consequente disponibilidade do resíduo (ou subproduto) agrícola em condições comerciais competitivas e do potencial prebiótico do substrato, acreditamos que há possibilidade real de desenvolvimento de novas opções para o segmento de ingredientes prebióticos. Soma-se a isto o fato de que o aproveitamento destes subprodutos ou resíduos pode representar grande contribuição no desafio ambiental que a adequada destinação apresenta, bem como contribuir para a geração extra de renda nas localidades produtoras. O objetivo principal deste projeto é selecionar a matéria-prima com maior potencial prebiótico para desenvolvimento posterior.As atividades deste projeto incluem a caracterização detalhada das matérias-primas selecionadas, com análises do perfil nutricional (bromatológicas), outras análises físico-químicas, de contaminantes e da distribuição do peso molecular das fibras por cromatografia líquida. Considerando que o potencial prebiótico das fibras está diretamente relacionado ao tamanho delas (fator de oligomerização), serão realizados estudos de hidrólise enzimática para avaliar a mudança no perfil da distribuição do grau de oligomerização das fibras e seu efeito na atividade prebiótica. Já a atividade prebiótica será realizada indiretamente pela determinação de ácidos graxos de cadeia curta (AGCC's) em experimentos de fermentação das fibras na presença dos organismos da microbiota intestinal, visto serem estes produtos os principais metabólitos formados pelo processo de fermentação de carbohidratos por esta microbiota intestinal. Além disto, planeja-se realizar estudos preliminares para quantificar diretamente, por PCR, alguns microorganismos probióticos e, desta forma, o efeito prebiótico das diferentes fibras estudadas.O mercado de ingredientes prebióticos não apresenta grande diferenciação em termos de processos produtivos, mas principalmente pela validação funcional (pré)clínica dos benefícios dos ingredientes. Esta estratégia pode complementar ou até mesmo substituir a propriedade intelectual patentária ao também garantir, ao menos temporariamente, a exclusividade de exploração de um ingrediente para um apelo funcional específico.A proposta de valor da empresa se baseia no desenvolvimento de ingredientes funcionais derivados de cadeias agrícolas já existentes, de grande escala e competitivas globalmente. Uma vez vencida a etapa de validação da funcionalidade dos ingredientes prebióticos estudados, o próximo desafio será viabilizar o escalonamento da manufatura e sua distribuição. (AU)