Busca avançada
Ano de início
Entree

TerApp

Processo: 17/15923-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de novembro de 2019 - 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica
Pesquisador responsável:Pedro Henrique de Oliveira Colombo
Beneficiário:Pedro Henrique de Oliveira Colombo
Empresa:Incloude Tecnologia Ltda
CNAE: Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não-customizáveis
Tratamento de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet
Atividades de atenção à saúde humana não especificadas anteriormente
Município: São Paulo
Assunto(s):Tecnologia assistiva 

Resumo

Quanto mais a internet evolui para a Internet of Things (IoT) e mais dispositivos eletrônicos se espalham pelo cotidiano das pessoas, mais as pessoas com restrições físicas e/ou cognitivas são excluídas dessa revolução tecnológica. Ao mesmo tempo, mais importante se tornam as tecnologias que aproximam o dia-a-dia de idosos, deficientes, crianças com restrições e pessoas em tratamento de doenças daquele dos seus amigos e familiares.Tecnologias assistivas auxiliam em problemas pontuais, e por isso criam dependência. Porém, se múltiplas delas forem parte de um sistema de (re)habilitação holística, podem ajudar a gradualmente reduzir a dependência geral de quem é mais afetado por ela. E independência é uma necessidade de qualquer ser humano, assim como ter convívio social de igual para igual (o tanto quanto possível).No entanto, hoje existem no mercado poucas opções de (re)habilitação digital, isto é, plataformas que promovam a (re)inclusão de pessoas ao convívio social através da atenuação gradual de suas restrições físicas e/ou cognitivas, intermediada por tecnologias digitais como aplicativos de smartphones e dispositivos IoT. E para desenvolver uma alternativa, é preciso pesquisa para responder a diversas perguntas: como acelerar a (re)habilitação de alguém usando um smartphone? De quem? Qual é a melhor interface para qual tipo de potencial usuário? Como é o software por trás para a plataforma gerar inteligência a partir de metadados de uso, dentro daquilo tecnicamente viável? Entre outras.Neste projeto, é proposta a pesquisa técnico-mercadológica do Minimum Viable Product (MVP) do Ter@pp, a plataforma de (re)habilitação digital da InCloude. As principais provas de conceito técnicas já foram realizadas e algumas hipóteses mercadológicas já começaram a ser testadas (ainda não num universo estatisticamente relevante). Há indícios de que com um Projeto PIPE fase 1 seja possível desenvolver este MVP a um produto para ser comercializado como um módulo da plataforma Ter@pp. (AU)