Busca avançada
Ano de início
Entree

Física hadrônica e desenvolvimento de detetores para FAIR

Processo: 19/07194-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2019 - 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física Nuclear
Convênio/Acordo: DAAD
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Bruno Omar El-Bennich
Beneficiário:Bruno Omar El-Bennich
Pesq. responsável no exterior: Ulrich Wiedner
Instituição no exterior: Ruhr-Universität Bochum (RUB), Alemanha
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa. Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL). São Paulo , SP, Brasil
Instituição parceira: Deutscher Akademischer Austauschdienst
Pesq. associados:Gastão Inácio Krein ; Mauro Rogerio Cosentino ; Tobias Frederico
Vinculado ao auxílio:18/20218-4 - Cromodinâmica quântica para praticantes: entendendo os experimentos atuais no Jefferson Lab e preparando o futuro para o Electron-Ion Collider e o Facility for Antipróton and Íon Research, AP.R
Assunto(s):Física de hádrons  Aceleração de partículas  Cromodinâmica quântica  Quark  Acelerador de partículas  Experimento PANDA  Facility for Antiproton and Ion Research (FAIR)  Cooperação internacional 

Resumo

Este projeto tem um objetivo duplo. Pretendemos aumentar, por um lado, as actividades teóricas em São Paulo relacionadas com a física dos experimentos no novo acelerado FAIR. Por outro lado, queremos estabelecer uma colaboração experimental, onde um dos participantes paulistas irá aderir formalmente à colaboração de PANDA no FAIR. Os grupos teóricos em São Paulo e na Alemanha têm interesses comuns em abordagens não perturbativas e de teorias efectivas à QCD e têm trabalhado em áreas de física hadrônica relacionadas com os projetos experimentais de PANDA. Ambos estão fortemente interessados nos futuros programas científicos e nos projetos experimentais da colaboração PANDA. Eles têm como objetivo fazer previsões para orientar os experimentalistas, bem como obter um retorno deles para futuros cálculos. Os experimentalistas se beneficiam de uma colaboração mais estreita com esses teóricos, embora o principal benefício sejam as competências complementares nos desenvolvimentos de detectores para os experimentos no FAIR e o desenvolvimento de simulações de detectores entre os grupos paulistas e alemães. A colaboração pretende ser de longo prazo e deve ajudar São Paulo a se posicionar em uma dos mais promissores aceleradores internacionais nos anos 2020 a 2030. (AU)