Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento industrial e comercial para equipamento portátil para diagnóstico em retina controlado por smartphone

Processo: 18/04866-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de outubro de 2019 - 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Engenharia Médica
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Pesquisador responsável:Flávio Pascoal Vieira
Beneficiário:Flávio Pascoal Vieira
Empresa:Phelcom Technologies Ltda. - ME
Município: São Carlos
Vinculado ao auxílio:16/00985-5 - Equipamento portátil para diagnóstico em retina controlado por smartphone, AP.PIPE
Auxílios(s) vinculado(s):19/10826-0 - Desenvolvimento industrial e comercial para equipamento portátil para diagnóstico em retina controlado por smartphone, AP.PIPE
Assunto(s):Técnicas de diagnóstico oftalmológico  Retinografia  Processamento digital de imagens  Telemedicina  Triagem  Smartphone 

Resumo

A saúde visual é uma temática constante e de alta relevância tanto no âmbito do estabelecimento de políticas públicas quanto em iniciativas privadas para promoção da saúde. A relevância do tema se deve em grande parte pelo número elevado e crescente de pessoas cegas ou com baixa visão, que no mundo chega a 285 milhões de pessoas. Chama a atenção que 80% dos casos de cegueira poderiam ser evitados, porém isso não ocorre devido à deficiência no acesso a procedimentos de diagnóstico e tratamento, com carência de oftalmologistas e precariedade na oferta de equipamentos. A grande maioria dos equipamentos disponíveis possuem um custo elevado e se concentram em grandes centros urbanos, uma vez que a operação em baixo volume os tornam inviáveis. Como os equipamentos não são facilmente transportáveis, os pacientes invariavelmente têm de se deslocar até centros de saúde ou clínicas especializadas para atendimento, dificultando o tratamento e diminuindo a prevenção.Essa situação é especialmente crítica em países em desenvolvimento que concentram 90% das pessoas com deficiência visual. Dados do Brasil apontam que 85% dos municípios não contam com atendimento oftalmológico, e nossos trabalhos prévios evidenciaram em campo exatamente tal realidade, principalmente em cidades pequenas nas quais a população desatendida precisa se deslocar até centros de especialidade. Propostas que tragam mobilidade e habilitem exames em campo, fora de um ambiente de atendimento especializado, com equipes volantes estão em fases de testes piloto em diversas iniciativas, e é neste cenário que enquadramos a proposta deste projeto de pesquisa.Com o objetivo de democratizar o acesso a tecnologias para diagnóstico de doenças do fundo do olho, pretendemos dar continuidade na pesquisa e desenvolvimento que está sendo conduzida na Phelcom para industrializar e comercializar o primeiro retinógrafo portátil, não midriático e controlado por smartphone. Um protótipo do produto, que tem o nome de SRC, Smart Retinal Camera, está em estágio avançado de desenvolvimento na empresa e está sendo validado clinicamente. O projeto obteve um financiamento de um PIPE fase 2 direto (2016/00985-5) e também recebeu, no ano de 2017, financiamento do Programa de Promoção da Economia Criativa, realizado pela Samsung em parceria com a Anprotec. É importante ressaltar que a operação não midriática que estamos incorporando ao produto permitirá que exames de retina sejam feitos sem a necessidade de dilatar a pupila do paciente com colírios. Com isso, dada a alta conectividade do equipamento, ele habilitará de fato a teleoftalmologia, uma vez que não será necessária a presença de um médico no local do exame. Além disso, o dispositivo será o primeiro a incorporar funções inteligentes embarcadas para a triagem e pré diagnóstico de doenças retinianas.Portanto o equipamento proposto se caracteriza como uma inovação tecnológica de amplitude mundial. A partir de seu uso as principais causas de cegueira irreversível - glaucoma, degeneração macular e retinopatia diabética - poderão ser rapidamente detectadas, agilizando o tratamento, aumentando a prevenção e auxiliando na melhoria da qualidade de vida e saúde da população. (AU)